sicnot

Perfil

País

Estivadores juntam-se a manifestação na AR e convocam greve de 10 dias

O Sindicato dos Estivadores vai participar na manifestação em frente à Assembleia da República (AR) no dia da votação do programa de Governo e das moções de censura, e vai também convocar uma greve de 10 dias ainda este mês.

Armando Franca

Em comunicado hoje emitido, o Sindicado dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal afirma que vai definir "um calendário de luta", que se inicia na próxima terça-feira na manifestação junto ao parlamento, num momento em que trabalhadores, desempregados, movimentos sociais e sindicatos vão "fazer o enterro do pior Governo constitucional e celebrar a sua queda".

Na nota, o sindicato anuncia que, "em nome e em representação dos trabalhadores portuários" no Porto, em Lisboa em Setúbal e na Figueira da Foz, vai também realizar uma "greve à prestação de trabalho nestes portos".

A greve terá início às 08:00 do dia 14 de novembro e deverá prolongar-se até à mesma hora do dia 24, mas as incidências operacional e diária da greve variam de porto para porto.

O sindicado adianta que em causa está "o fim do contrato coletivo de trabalho, motivado pelas negociatas que estão a ser feitas no Porto de Lisboa, cuja venda foi em devido tempo denunciada".

A participação na manifestação da próxima semana e o anúncio de greve surgem depois de, em outubro, o Sindicato dos Estivadores ter denunciado a rutura da negociação do contrato coletivo de trabalho por parte dos patrões, altura em que prometeu anunciar ações de luta.

"Os patrões deixaram cair definitivamente a máscara, quando, a 15 de setembro de 2015, comunicaram oficialmente que o contrato coletivo de trabalho iria caducar ao fim de 60 dias", criticou o sindicato no mês passado.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57