sicnot

Perfil

País

Exposição de fotografia em Lisboa revela transformação de vítimas de violência

Uma exposição com fotografias captadas por José Sarmento Matos, que é inaugurada na quinta-feira, em Lisboa, procura desfazer estereótipos sobre as vítimas de violência e partilhar histórias de coragem de quem conquistou uma nova vida.

LUSA

"São pessoas que sofreram muito e cujos traumas nunca vão desaparecer, mas conseguiram, com coragem, e ajuda de outros, libertar-se da violência e ultrapassar situações dramáticas", disse à agência Lusa o fotojornalista José Sarmento Matos.

Intitulada "O Virar da Página", a exposição, que é inaugurada na quinta-feira no Espaço Novo Banco, em Lisboa, resulta de um projeto fotográfico produzido em Portugal sobre a transformação de pessoas que sofreram crimes violentos, feito em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

A ideia do projeto partiu de José Sarmento Matos, fotojornalista que já tinha colaborado com a APAV, e propôs fazer entrevistas às vítimas e fotografá-las na intimidade, depois de libertadas de uma realidade "que não vão esquecer nunca".

Violência doméstica, perseguição, abuso, tráfico humano, vítimas e familiares aceitaram falar do seu caso.

Partindo de contactos feitos pela APAV e com indicações de psicólogos para lidar com estes casos delicados, o fotógrafo percorreu todo o país e realizou 35 entrevistas, fotografando 30 das vítimas que aceitaram participar.

"Interessei-me por esta realidade e quis saber mais. Estava interessado em saber como estas pessoas tinham mudado de vida. Fui encontrar muitos casos de pessoas que viviam isoladas e que aceitaram uma situação durante muitos anos, pensando que o seu caso era único", relatou à Lusa.

Do projeto - que decorreu de setembro de 2014 a abril de 2015 - nasceu uma exposição com 20 fotografias e um vídeo, em que as vítimas falam na primeira pessoa, e que irá assinalar os 25 anos de vida da APAV.

"Estas pessoas tiveram a coragem de lutar contra a sua própria vergonha, medo e vulnerabilidade, pediram ajuda e aceitaram expor as suas histórias pessoais", com o objetivo de alertar a sociedade para o fenómeno da violência e encorajar outras vítimas a reagirem à situação e a procurarem apoio.

O fotógrafo de 26 anos, que divide a atividade entre Lisboa e o Reino Unido, encontrou algumas pessoas que poderiam ter sido libertadas mais cedo da sua "prisão" de violência, caso tivessem tido informação sobre onde e como pedir ajuda.

"Muitas delas chegaram a comunicar as situações de violência e abuso à polícia, mas não foi suficiente", apontou, comentando que as autoridades em Portugal não conseguem evitar as mortes que são noticiadas semanalmente no país.

Em Portugal, "a polícia tem boa vontade e faz um grande esforço, mas há uma grande falta de recursos, a justiça é lenta e protege pouco". "No Reino Unido é totalmente diferente. A polícia possui departamentos próprios para lidar contra a violência doméstica e o tráfico de pessoas".

Nascido em Sintra, em 1988, José Sarmento Matos estudou jornalismo na Universidade Católica Portuguesa, e foi durante uma viagem à Austrália, em 2010, que descobriu a paixão pela fotografia documental.

Fez um estágio de fotojornalismo no jornal Público e um mestrado nessa área no London College of Comunication, no Reino Unido. Foi um dos fotógrafos vencedores do prémio "30 Under 30" patrocinado pela Magnum Photo.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59