sicnot

Perfil

País

Exposição de fotografia em Lisboa revela transformação de vítimas de violência

Uma exposição com fotografias captadas por José Sarmento Matos, que é inaugurada na quinta-feira, em Lisboa, procura desfazer estereótipos sobre as vítimas de violência e partilhar histórias de coragem de quem conquistou uma nova vida.

LUSA

"São pessoas que sofreram muito e cujos traumas nunca vão desaparecer, mas conseguiram, com coragem, e ajuda de outros, libertar-se da violência e ultrapassar situações dramáticas", disse à agência Lusa o fotojornalista José Sarmento Matos.

Intitulada "O Virar da Página", a exposição, que é inaugurada na quinta-feira no Espaço Novo Banco, em Lisboa, resulta de um projeto fotográfico produzido em Portugal sobre a transformação de pessoas que sofreram crimes violentos, feito em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

A ideia do projeto partiu de José Sarmento Matos, fotojornalista que já tinha colaborado com a APAV, e propôs fazer entrevistas às vítimas e fotografá-las na intimidade, depois de libertadas de uma realidade "que não vão esquecer nunca".

Violência doméstica, perseguição, abuso, tráfico humano, vítimas e familiares aceitaram falar do seu caso.

Partindo de contactos feitos pela APAV e com indicações de psicólogos para lidar com estes casos delicados, o fotógrafo percorreu todo o país e realizou 35 entrevistas, fotografando 30 das vítimas que aceitaram participar.

"Interessei-me por esta realidade e quis saber mais. Estava interessado em saber como estas pessoas tinham mudado de vida. Fui encontrar muitos casos de pessoas que viviam isoladas e que aceitaram uma situação durante muitos anos, pensando que o seu caso era único", relatou à Lusa.

Do projeto - que decorreu de setembro de 2014 a abril de 2015 - nasceu uma exposição com 20 fotografias e um vídeo, em que as vítimas falam na primeira pessoa, e que irá assinalar os 25 anos de vida da APAV.

"Estas pessoas tiveram a coragem de lutar contra a sua própria vergonha, medo e vulnerabilidade, pediram ajuda e aceitaram expor as suas histórias pessoais", com o objetivo de alertar a sociedade para o fenómeno da violência e encorajar outras vítimas a reagirem à situação e a procurarem apoio.

O fotógrafo de 26 anos, que divide a atividade entre Lisboa e o Reino Unido, encontrou algumas pessoas que poderiam ter sido libertadas mais cedo da sua "prisão" de violência, caso tivessem tido informação sobre onde e como pedir ajuda.

"Muitas delas chegaram a comunicar as situações de violência e abuso à polícia, mas não foi suficiente", apontou, comentando que as autoridades em Portugal não conseguem evitar as mortes que são noticiadas semanalmente no país.

Em Portugal, "a polícia tem boa vontade e faz um grande esforço, mas há uma grande falta de recursos, a justiça é lenta e protege pouco". "No Reino Unido é totalmente diferente. A polícia possui departamentos próprios para lidar contra a violência doméstica e o tráfico de pessoas".

Nascido em Sintra, em 1988, José Sarmento Matos estudou jornalismo na Universidade Católica Portuguesa, e foi durante uma viagem à Austrália, em 2010, que descobriu a paixão pela fotografia documental.

Fez um estágio de fotojornalismo no jornal Público e um mestrado nessa área no London College of Comunication, no Reino Unido. Foi um dos fotógrafos vencedores do prémio "30 Under 30" patrocinado pela Magnum Photo.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".