sicnot

Perfil

País

Tribunal julga 2 homens detidos com 10 quilos de haxixe na Marinha Grande

O Tribunal Judicial de Leiria começou hoje o julgamento de dois homens, acusados do crime de tráfico de estupefacientes, que foram detidos em abril na Marinha Grande após serem intercetados num carro onde estavam dez quilos de haxixe.

SIC/Arquivo

SIC/Arquivo

Nesta sessão, o condutor do veículo, de 35 anos, justificou a deslocação às Caldas da Rainha para ir buscar a "encomenda", devido a questões financeiras, explicando que iria receber 800 euros pelo transporte.

"A minha necessidade foi precisar daquele dinheiro", declarou o arguido, depois de esclarecer a situação financeira que originou o crime.

O acusado adiantou que a sugestão da deslocação partiu de uma pessoa que "conhecia do café", nada dizendo ao coletivo de juízes sobre a identificação deste, mas negou qualquer participação do outro arguido que o acompanhou na deslocação.

"Ele não teve qualquer tipo de participação", afiançou o presumível traficante, que se encontra em prisão domiciliária, assumindo ao tribunal que não se deu "conta do risco que estava a correr".

O outro arguido, que em julgamento se remeteu ao silêncio, está sujeito a termo de identidade e residência.

O automobilista rejeitou, ainda, qualquer contacto com tráfico de droga, assumindo que então consumia haxixe esporadicamente, razão pela qual foi apreendido na sua casa este tipo de estupefaciente.

"O que estava em minha casa era para meu consumo", precisou.

Na sessão de hoje, o tribunal ouviu dois agentes da PSP, as declarações prestadas pelos arguidos em primeiro interrogatório judicial, por solicitação do procurador da República, e testemunhas de defesa.

Segundo o despacho de acusação, no dia 08 de abril, pelas 21:45, os acusados circulavam numa viatura na zona industrial de Casal da Lebre quando foram intercetados por agentes da PSP da esquadra da Marinha Grande.

A conduzir estava o arguido, DJ, e ao seu lado o outro acusado, empregado fabril de 24 anos.

O Ministério Público (MP) relata que atrás do banco do condutor encontrava-se um saco de compras de um supermercado com 99 placas de haxixe, com quase 10 quilos, no valor de 15 mil euros.

Na sequência da apreensão, foi feita uma busca à residência do condutor, por este autorizada, tendo sido aprendidos uma língua de haxixe, três pedaços de haxixe e uma navalha com resíduos desta droga.

O MP adianta que os arguidos tinham-se deslocado pela autoestrada oito ao local onde o automobilista comprou o produto estupefaciente que se destinava a ser revendido na cidade da Marinha Grande.

"Submetido a exame toxicológico, o produto apreendido revelou ser canábis em resina, com o peso de 9.828,38 gramas", lê-se no despacho de acusação, referindo que a quantidade corresponde a 30.259 doses individuais de haxixe.

O julgamento prossegue no dia 12, às 09:30, com as alegações finais.

Lusa

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.