sicnot

Perfil

País

Incentivos aos carros a gasóleo prejudicam ambiente, alerta a Quercus

​Portugal é o terceiro país europeu com maior diferença entre o imposto aplicado à gasolina, mais alto, e aquele referente ao gasóleo, o que, segundo a Quercus, induz a utilização de veículos mais prejudiciais à saúde.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Para a associação de defesa do ambiente, apesar de "Portugal estar na linha da frente na promoção dos veículos elétricos, nomeadamente por razões ambientais", um estudo divulgado pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente mostra que o país "está entre os Estados-membros que mantêm incentivos aos carros a gasóleo, o que não tem justificação na perspetiva ambiental".

Por isso, é urgente "corrigir esta perversidade do sistema que induz a utilização de veículos mais prejudiciais à saúde e à qualidade de vida nas nossas cidades", defende.

O estudo divulgado na semana passada pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E), da qual a Quercus faz parte, salienta que, na União Europeia (UE), os impostos sobre a gasolina são, em média, 14 cêntimos mais elevados do que o imposto sobre o gasóleo.

Esta situação, traduz-se "num subsídio na ordem dos 2.600 euros por cada veículo a gasóleo ao longo do seu ciclo de vida", conclui o trabalho.

"Portugal é o terceiro país onde este diferencial assume maior importância, já que o valor do imposto aplicável à gasolina era, em 2014, cerca de 22 cêntimos mais elevado do que o imposto pago pelos veículos a gasóleo", avança a Quercus.

Grécia, Holanda e Portugal são "os Estados-membros 'campeões' dos subsídios indiretos ao gasóleo", de acordo com o estudo do T&E, citado pela Quercus, realçando também que os impostos mais baixos sobre o gasóleo não têm ajudado à redução das emissões de gases com efeito de estufa, responsáveis pelo agravamento das alterações climáticas, pois "incentivam veículos mais pesados e o aumento da mobilidade em veículos particulares".

Quando os preços do petróleo estão a descer e são divulgados casos de manipulação das emissões poluentes em veículos a gasóleo, este estudo, salienta a Quercus, "vem sublinhar a importância dos países da UE acabarem com este subsídio e alinharem os impostos sobre o gasóleo e a gasolina".

O que os ambientalistas chamam de "desconto" de 30% a favor do gasóleo é, segundo a associação portuguesa, uma das principais razões que explicam o facto de os veículos a gasóleo liderarem as vendas na UE, uma tendência que "conduz ao agravamento da poluição, sobretudo nas cidades".

Alguns países europeus já estão a rever as suas estratégias de fiscalidade sobre o gasóleo, como a Bélgica e França, que anunciaram planos para acabar com a diferença nos próximos anos.

O Reino Unido já aplica o mesmo valor de imposto por litro de gasolina e de gasóleo.

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.