sicnot

Perfil

País

Constitucional nega razão ao Provedor de Justiça e não censura cortes salariais nas empresas públicas

O Tribunal Constitucional considerou que não há razões para julgar inconstitucionais os cortes salariais aplicáveis aos trabalhadores das empresas maioritariamente públicas, recusando dar razão a um pedido do Provedor de Justiça entregue em dezembro de 2014.

No pedido que dirigiu ao Tribunal Constitucional a 16 de dezembro de 2014, o Provedor de Justiça defendeu que os cortes parciais dos salários dos trabalhadores das empresas públicas eram inconstitucionais por violação do princípio da proporcionalidade já que "não satisfaziam integralmente" os fins de alívio da despesa pública e permitiam além disso uma "espécie de enriquecimento sem causa" dos acionistas privados daquelas empresas.

José Faria da Costa argumentou que a redução dos salários daqueles trabalhadores só serviria o fim da consolidação orçamental caso a lei previsse a entrega "na sua integralidade aos cofres públicos dos montantes correspondentes à diminuição salarial sofrida pelos trabalhadores em causa".

Num acórdão hoje publicado no "site", o TC entendeu que "a diminuição dos custos operacionais destas empresas, por força das reduções salariais impostas na alínea r), n.º 9, do artigo 2.º, da Lei n.º 75/2014, de 12 de setembro, contribui necessariamente para a respetiva autossustentabilidade financeira e, por essa via, para a diminuição de uma projeção negativa no equilíbrio orçamental do Estado".

O diploma estabelece os mecanismos das reduções remuneratórias temporárias e as condições da sua reversão. O pedido de José Faria da Costa diz respeito aos trabalhadores das empresas de capitais maioritariamente públicos e não aos da administração direta do Estado.

Apesar de admitir que no caso particular do "universo das empresas de capital maioritariamente público não reclassificadas" haver uma "contribuição indireta, difusa e parcial" que "comporta o risco de marginalmente poder beneficiar capitais privados", o TC considerou que as reduções por si só podem constituir "um ganho de interesse público".

"Não há elementos seguros que permitam formar a convicção, num juízo de evidência, de que a dimensão do impacto orçamental da redução salarial já não se traduz num ganho de interesse público inerente ao fim visado que não compense a carga coativa temporariamente imposta aos trabalhadores destas empresas", referem os juízes do TC.

Assim, "não há razões para do ponto de vista constitucional censurar a norma sob fiscalização, por violação do princípio da proporcionalidade", lê-se, no acórdão 576/2015.

Lusa

  • Nomeados para os Óscares são anunciados hoje

    Óscares 2017

    As nomeações para a 89ª. edição dos Óscares, os prémios da Academia norte-americana de cinema, são conhecidos esta terça-feira e pela primeira vez o anúncio será feito apenas via Internet. Para ver também aqui em direto, na SIC Notícias, a partir das 13:00.

    Aqui às 13:00

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • "Todo o mundo no voo estava a orar em voz alta"
    4:00
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Governo avança com plano para a utilização da bicicleta

    País

    O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, anunciou esta seguda-feira em Caminha a elaboração, este ano, de um Plano Nacional para a Promoção da Bicicleta e Outros Modos de Transporte Suaves para estimular a utilização daquele meio de transporte.