sicnot

Perfil

País

Temperaturas em 2015 vão superar em um grau os níveis pré-industriais

As temperaturas médias globais na superfície terrestre em 2015 vão superar, pela primeira vez, em um grau celsius os níveis verificados na era pré-industrial, segundo uma previsão do Instituto Meteorológico britânico (Met Office) hoje divulgada.

LUSA

A entidade referiu que dados recolhidos entre janeiro e setembro deste ano anteveem uma temperatura média global superior em 1,02 graus celsius aos valores registados no período pré-industrial (1850-1900).

Se as temperaturas permanecerem como previsto, 2015 será o primeiro ano a transpor este limite.

"Isto representa um importante indicador como o planeta continua a aquecer devido à influência humana", referiu o Met Office, num comunicado.

Para Stephen Belcher, director do Met Office Hadley Centre, esta nova informação também deve ser interpretada em função dos fenómenos naturais que atingem o planeta.

"Vimos um forte El Niño [fenómeno climático cíclico] a desenvolver este ano no Pacífico tropical e isso terá tido algum impacto sobre a temperatura global deste ano", referiu o especialista.

"Tivemos fenómenos naturais semelhantes no passado, mas esta é a primeira vez que vamos atingir a meta de um grau celsius e é claro que é a influência humana que está a encaminhar o nosso atual clima para um território desconhecido", acrescentou Stephen Belcher.

A informação do Met Office é divulgada a menos de um mês da realização em Paris da Cimeira do Clima da ONU (COP21).

A COP21, que começa a 30 de novembro e se prolonga até 11 de dezembro, tem como objetivo conseguir um acordo internacional que limite as emissões de gases com efeito de estufa para conter o aumento da temperatura global nos dois graus celsius durante este século.

Lusa

  • A Catalunha "está farta da prepotência e dos abusos do governo"
    0:30
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • Uber perde licença para operar em Londres

    Economia

    O regulador de transporte de Londres decidiu hoje que vai retirar à Uber a licença para operar na capital britânica. A proibição entra em vigor no final deste mês e vai afetar 40 mil motoristas da empresa multinacional norte-americana.

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Família Portugal Ramos
    15:01