sicnot

Perfil

País

Imprensa europeia destaca queda de executivo de direita em Portugal

Os principais jornais de Espanha, Reino Unido, França e Alemanha destacaram hoje, nas suas edições eletrónicas, a queda do Governo da coligação PSD/CDS devido a uma moção de rejeição apresentada pelo PS e aprovada por toda a oposição.

(arquivo)

(arquivo)

TIAGO PETINGA

O diário espanhol El Mundo escreveu "Cai o Governo de Passos Coelho, o mais breve da democracia de Portugal", enquanto o El País titulou "Cai aos 11 dias o Governo conservador português".

Mais conotado com a direita, o ABC adianta que "O voto contra de toda a esquerda faz cair o Governo do conservador Passos" e recorda a advertência deixada pelo primeiro-ministro português durante o debate quanto à incapacidade da coligação de esquerda de cumprir as metas do défice.

La Vanguardia, de Barcelona, mostra uma foto do primeiro-ministro a esfregar os olhos com as mãos e titula "A esquerda lusa tomba Passos Coelho", enquanto o La Razón destaca o tema, usando o texto da agência EFE, com o título "A esquerda portuguesa derruba o Governo do conservador Passos Coelho".

A imprensa de Espanha tem acompanhado com interesse a situação política em Portugal, onde houve um acordo inédito entre o PS - segundo partido mais votado nas eleições de 04 de outubro - o PCP e o Bloco de Esquerda, porque as eleições gerais espanholas (equivalentes às legislativas em Portugal) se realizam a 20 de dezembro, e as sondagens abrem a possibilidade de existirem coligações pós-eleitorais com contornos semelhantes.

No Reino Unido, o diário The Guardian titulou: "Deputados portugueses obrigam Governo de minoria a abandonar o poder devido a austeridade", acrescentando que uma "aliança de socialistas e comunistas derrubou a coligação de centro-direita semanas após as eleições" e que a votação de uma moção de rejeição do programa do Governo se seguiu "à formação pelo moderado Partido Socialista de uma aliança sem precedentes com os comunistas e seus aliados do Bloco de Esquerda, que lhes deu 123 votos num total de 230 do parlamento português".

O Financial Times escreveu "Socialistas preparam-se para subir ao poder em Portugal -- António Costa deverá tornar-se primeiro-ministro".

Em França, o diário Le Monde destacou a existência "Em Portugal, [de] uma 'oportunidade histórica' contra a austeridade", sublinhando ter falado com Fernando Rosas, "intelectual da extrema-esquerda portuguesa", que "explica como os partidos antiausteridade souberam aliar-se aos socialistas contra o governo de direita".

Por sua vez, o Libération titulou: "Portugal: unida, a esquerda provoca a queda do governo de direita", manchete bastante semelhante à da agência de notícias francesa AFP, segundo a qual, em Portugal, "a esquerda fez cair o governo pró-austeridade de direita".

"A esquerda portuguesa, unida pela primeira vez em 40 anos de democracia, concretizou hoje a sua ameaça e provocou a queda do governo minoritário de direita 'para virar a página da austeridade', sob o olhar inquieto dos mercados financeiros", escreveu a France-Presse.

Na Alemanha, o diário Frankfurter Allgemeine escreveu que uma "Moção de desconfiança derrubou governo português", precisando que tal aconteceu apenas 11 dias depois da posse, quando "uma coligação de socialistas e comunistas na oposição apresentou uma moção de desconfiança bem-sucedida no parlamento".

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.