sicnot

Perfil

País

Imprensa europeia destaca queda de executivo de direita em Portugal

Os principais jornais de Espanha, Reino Unido, França e Alemanha destacaram hoje, nas suas edições eletrónicas, a queda do Governo da coligação PSD/CDS devido a uma moção de rejeição apresentada pelo PS e aprovada por toda a oposição.

(arquivo)

(arquivo)

TIAGO PETINGA

O diário espanhol El Mundo escreveu "Cai o Governo de Passos Coelho, o mais breve da democracia de Portugal", enquanto o El País titulou "Cai aos 11 dias o Governo conservador português".

Mais conotado com a direita, o ABC adianta que "O voto contra de toda a esquerda faz cair o Governo do conservador Passos" e recorda a advertência deixada pelo primeiro-ministro português durante o debate quanto à incapacidade da coligação de esquerda de cumprir as metas do défice.

La Vanguardia, de Barcelona, mostra uma foto do primeiro-ministro a esfregar os olhos com as mãos e titula "A esquerda lusa tomba Passos Coelho", enquanto o La Razón destaca o tema, usando o texto da agência EFE, com o título "A esquerda portuguesa derruba o Governo do conservador Passos Coelho".

A imprensa de Espanha tem acompanhado com interesse a situação política em Portugal, onde houve um acordo inédito entre o PS - segundo partido mais votado nas eleições de 04 de outubro - o PCP e o Bloco de Esquerda, porque as eleições gerais espanholas (equivalentes às legislativas em Portugal) se realizam a 20 de dezembro, e as sondagens abrem a possibilidade de existirem coligações pós-eleitorais com contornos semelhantes.

No Reino Unido, o diário The Guardian titulou: "Deputados portugueses obrigam Governo de minoria a abandonar o poder devido a austeridade", acrescentando que uma "aliança de socialistas e comunistas derrubou a coligação de centro-direita semanas após as eleições" e que a votação de uma moção de rejeição do programa do Governo se seguiu "à formação pelo moderado Partido Socialista de uma aliança sem precedentes com os comunistas e seus aliados do Bloco de Esquerda, que lhes deu 123 votos num total de 230 do parlamento português".

O Financial Times escreveu "Socialistas preparam-se para subir ao poder em Portugal -- António Costa deverá tornar-se primeiro-ministro".

Em França, o diário Le Monde destacou a existência "Em Portugal, [de] uma 'oportunidade histórica' contra a austeridade", sublinhando ter falado com Fernando Rosas, "intelectual da extrema-esquerda portuguesa", que "explica como os partidos antiausteridade souberam aliar-se aos socialistas contra o governo de direita".

Por sua vez, o Libération titulou: "Portugal: unida, a esquerda provoca a queda do governo de direita", manchete bastante semelhante à da agência de notícias francesa AFP, segundo a qual, em Portugal, "a esquerda fez cair o governo pró-austeridade de direita".

"A esquerda portuguesa, unida pela primeira vez em 40 anos de democracia, concretizou hoje a sua ameaça e provocou a queda do governo minoritário de direita 'para virar a página da austeridade', sob o olhar inquieto dos mercados financeiros", escreveu a France-Presse.

Na Alemanha, o diário Frankfurter Allgemeine escreveu que uma "Moção de desconfiança derrubou governo português", precisando que tal aconteceu apenas 11 dias depois da posse, quando "uma coligação de socialistas e comunistas na oposição apresentou uma moção de desconfiança bem-sucedida no parlamento".

Lusa

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.

  • PSD e CDS têm caminhos diferentes
    1:22

    País

    Assunção Cristas já respondeu a Pedro Passos Coelho, depois de o líder do PSD ter recusado apoiar a candidatura da líder do CDS à Câmara de Lisboa. Cristas diz que os dois partidos têm caminhos diferentes. O PSD continua sem apresentar candidato. Contudo, Marques Mendes revelou que Passos Coelho convidou José Eduardo Moniz a candidatar-se à Câmara de Lisboa.