sicnot

Perfil

País

Verdes dizem que única novidade do programa PSD/CDS-PP é o descaramento

O deputado do Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV), José Luís Ferreira, afirmou hoje, no encerramento do debate sobre o programa do XX Governo Constitucional, que a única novidade do documento é o descaramento.

Deputado do Partido Ecologista Os Verdes (PEV), José Luís Ferreira.

Deputado do Partido Ecologista Os Verdes (PEV), José Luís Ferreira.

ANT\303\223NIO COTRIM

Começando por afirmar que "o programa de Governo PSD/CDS é marcado essencialmente pela continuidade disfarçada do 'agora é que vai ser'", o deputado do PEV considerou que "o que o PSD e o CDS agora prometem é combater os resultados das políticas que impuseram ao longo dos últimos quatro anos, olhando para os cinco objetivos fundamentais sobre os quais assenta o programa de Governo, a novidade é apenas o descaramento".

Para sustentar esta acusação, o deputado ecologista referiu, perante os restantes deputados, o convite [de PSD/CDS-PP] à emigração dos jovens que é agora contraposto com a vontade de combater o 'inverno demográfico', a pobreza, a "destruição do Estado social", o aumento do desemprego e a diminuição do poder de compra dos portugueses.

O deputado disse que o Governo quer combater agora todas estas situações que provocou, assinalando também a inação no setor ambiental, como a água, a proteção da natureza, os transportes e as alterações climáticas.

"Um governo que generalizou a precariedade vive agora uma situação verdadeiramente precária, um Governo a prazo que os portugueses revogaram no passado dia 04 de outubro apresenta-nos agora um programa repleto de pressupostos falsos e a partir de premissas completamente erradas", salientou o deputado.

O deputado considerou que "quem quis que PSD e CDS continuassem as suas desastrosas políticas foi o Presidente da República" e não os portugueses, que quiseram sim "eleger 230 deputados, criando uma nova correlação de forças no parlamento de forma a impedir que PSD e CDS continuem no Governo", condenando as políticas de austeridade.

"É preciso que agora se façam traduzir os resultados eleitorais, é a democracia a funcionar. Quer se goste, quer se não goste, são estas as regras da democracia e com elas teremos de saber conviver", afirmou o deputado aos deputados, acrescentando que "seria irresponsável não atender a este novo quadro parlamentar".

Ressalvando que "os partidos que se comprometeram perante os eleitores com as políticas de mudança assentam em propostas políticas diferentes, têm programas eleitorais diferenciados e avançam de pontos de partida também diferentes", José Luís Ferreira afirmou que "Os Verdes" se envolveram na discussão do programa de um Governo "capaz de dobrar o ciclo de empobrecimento e de travão ao desenvolvimento ambiental, social e económico do país".

O deputado concluiu a sua intervenção vincando que "não faltam motivos para "os Verdes", com sentido de responsabilidade, rejeitarem este programa de Governo e para isso apresentaram hoje uma moção de rejeição ao programa de Governo PSD/CDS-PP, como forma de quebrar este ciclo de políticas que tanto têm vindo a infernizar a vida dos portugueses".

José Luís Ferreira foi aplaudido por toda ala esquerda do parlamento.

Lusa

  • Nunca mais
    9:16