sicnot

Perfil

País

Acusado de raptar a filha condenado a 3 anos e 2 meses de prisão

O homem acusado de raptar a filha foi hoje condenado a 3 anos e 2 meses de prisão por sequestro agravado, pelo Tribunal de Faro. A avó de Alice foi condenada a 2 anos e 6 meses com pena suspensa, também por sequestro agravado.

Paulo Guiomar fugiu para a Bélgica com a menor e a mãe esteve dois anos sem saber do paradeiro. Em tribunal, explicou que fugiu por achar que Alice estava em perigo com a mãe.

O Tribunal de Faro considerou que a dimensão do sequestro foi "particularmente elevada", pelo que o crime assume a forma de sequestro agravado, e ainda que não existiu fundamento para a reação de Paulo Guiomar, que, ao manter a filha privada de liberdade, lhe causou "graves perturbações".

A avó da menina, Maria Dolores, que viveu com o filho e a neta na Bélgica durante dois anos, foi condenada a dois anos e meio de prisão, com pena suspensa, tendo o tribunal considerado que a sua intervenção no crime aconteceu já depois de o filho ter tomado a decisão de não devolver Maria Alice à mãe.

De acordo com o tribunal, funcionaram como atenuantes para Paulo Guiomar o facto de não terem existido maus tratos durante o período que durou o sequestro, de a menina não estar constantemente privada do convívio com outras pessoas e ainda o facto de ter ficado provado que Maria Alice relatou algumas queixas do comportamento da sua mãe ao pai.

Contudo, o tribunal considerou que a reação do pai "nunca foi adequada", porque a menina não foi só retirada à mãe, mas aos amigos e à escola, e também por não ter ficado provado que o comportamento da progenitora era um perigo para a menina.

"Isto nunca poderia ter acontecido porque causou a Maria Alice graves perturbações das quais ela ainda não se apercebeu", referiu o juiz Henrique Pavão, durante a leitura do acórdão, acrescentando que "se alguém tem que sofrer, têm que ser os pais".

Contra o pai de Maria Alice pesaram o facto de este ser polícia, pelo que deveria estar "mais virado para o Direito e não para o crime", de ter sido ele a tomar a iniciativa de sequestrar a filha e ainda o "ódio" em relação à mãe da menina.

À saída do tribunal, a mãe da menor disse ter sido feita justiça, mas quando questionada pelos jornalistas se a pena aplicada seria suficiente, referiu que, se olhar para a filha, não sabe realmente se acha suficiente.

Escusando-se a prestar mais declarações, Carla Evangelista acrescentou apenas que a menina, atualmente com dez anos, tem tido acompanhamento psicológico.

Também à margem da leitura do acórdão, o advogado de Paulo Guiomar e de Maria Dolores considerou que a posição do tribunal foi "equilibrada", embora entendesse que o desfecho deveria ser outro, e admitiu recorrer da sentença.

Segundo Ricardo Serrano Vieira, a execução da pena do pai da menina deveria ser "igual à da outra coarguida", a quem foi aplicada uma pena suspensa, ao contrário de Paulo Guiomar, que terá que cumprir uma pena de prisão efetiva.

"A defesa vai continuar a bater-se pelos argumentos que levaram a um entendimento diferente, ou seja, que os motivos que o levaram a agir desta maneira teriam legitimidade", nomeadamente os alegados maus tratos a que a menina estaria sujeita, ao viver com a mãe, concluiu.

Paulo Guiomar, que se encontra em prisão preventiva há 14 meses, foi absolvido pelo tribunal dos crimes de abandono de funções e de detenção ilegal de arma de fogo.

Com Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Romelu Lukaku: força, potência e intensidade

    Mundial 2018 / Bélgica

    O avançado Romelu Lukaku foi eleito o Homem do Jogo entre Bélgica e Panamá. Num registo ofensivo em que a força e a potência são pilares para o sucesso junto às redes adversárias, Lukaku representa uma ameaça temível para qualquer defesa. Aos 25 anos, o ponta de lança que José Mourinho foi buscar ao Everton para dar outra intensidade ao ataque do Manchester United vive o melhor momento da carreira. Para já, assume-se como um candidato de respeito na corrida à Bota de Ouro deste Mundial.

  • Andreas Granqvist: o homem que destronou Ibrahimović

    Mundial 2018 / Suécia

    Depois de marcar o penálti que garantiu a vitória da Suécia frente à República da Coreia, Andreas Granqvist conquistou o título de homem do jogo. O capitão da equipa sueca foi também o vencedor da Bola de Ouro atribuída ao melhor futebolista sueco, em 2017, roubando o prémio ao carismático Ibrahimović, que já recebia a distinção há 10 anos consecutivos. Granqvist deu a vitória à Suécia e colocou a seleção escandinava no topo do grupo F, ao lado do México. Aos 32 anos, o defesa central é já um conhecedor dos relvados russos, já que alinha no FK Krasnodar.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • Madonna esteve no Terreiro do Paço a ver o Brasil-Suíça
    0:15
  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC