sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede condenação para suspeitos de contrabandear tabaco

O Ministério Público (MP) pediu hoje em Gaia condenação para quatro de 30 acusados de contrabandear tabaco para abastecer a região Norte e, para os restantes, requereu apenas "justiça".

(arquivo)

(arquivo)

AP

No grupo dos 30 suspeitos está um agente da PSP, para o qual o MP não pediu nenhuma pena concreta.

Os factos remontam a 2010 quando a Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana (GNR) do Porto deteve várias pessoas no âmbito de uma operação de combate a atividades ilícitas relacionadas com os crimes de contrabando qualificado, introdução fraudulenta no consumo qualificada, fraude fiscal qualificada e associação criminosa.

Durante a operação policial associada ao caso e desencadeada em fevereiro de 2010, foram executados 35 mandados de busca tendo sido apreendidos 13 veículos e 30.000 maços de tabaco de diversas marcas, 1.560 litros de produtos carburantes, 40 telemóveis, cinco computadores, diversos artigos informáticos, bem como três armas e documentos relacionados com atividades ilícitas.

A leitura do acórdão está agendada para 18 de dezembro, às 09:30.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.