sicnot

Perfil

País

Suspeitos de corrupção na Segurança Social detidos com caução

O chefe da Segurança Social que foi detido na terça-feira por suspeitas de corrupção vai ter de pagar uma caução de 30 mil euros para poder aguardar o julgamento em tribunal.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

As medidas de coação, aplicadas pelo juiz de instrução criminal aos dois arguidos foram conhecidas esta quinta-feira. Após o interrogatório judicial, ambos ficaram indiciados pela prática de crimes de corrupção passiva para ato ilícito, falsidade informática, abuso de poder e peculato.

Além da caução, o responsável pela equipa de gestão de remunerações do Centro Distrital de Lisboa fica suspenso de funções, proibido de entrar nas instalações da Segurança Social e de contactar com funcionários da mesma instituição.

Ao segundo detido, familiar do funcionário e co-autor de parte dos crimes, foi imposta a proibição de contactos e de frequentar instalações da Segurança Social, a proibição de se ausentar para o estrangeiro e uma caução de 15 mil euros.

Os dois manipulavam dados do sistema informático a troco de dinheiro e outros benefícios. Assim, permitiam, de forma fraudulenta, o aumento de pensões de reforma e subsídios.

  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.