sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede 12 anos de prisão para patrão que mandou torturar funcionários

O Ministério Público de Cantanhede pediu hoje uma pena de 12 anos de prisão para o patrão de três madeireiros que em setembro do ano passado terá mandado seis funcionários torturarem três colegas de trabalho.

Os três homens foram violentamente agredidos, sufocados com sacos na cabeça e baleados. Os trabalhadores conseguiram fugir antes de ser lançado fogo à carrinha onde eram mantidos como prisioneiros.
A ordem de agressão terá sido dada pelo patrão que deu pela falta de 4 mil e 700 euros nas contas da empresa de madeiras e queria, a todo o custo, obter uma confissão do roubo.
O Ministério publico entende que os crimes ficaram todos provados em tribunal e pediu pena de prisão para todos os arguidos, 15 anos para dois dos funcionários, 12 para o patrão e uma pena mais leve para os restantes.
Dos sete arguidos, seis continuam em prisão preventiva, sendo o patrão o único que aguarda o fim do julgamento em liberdade.

  • Oliveira Costa "era incompetente para todos os lugares em que eu o vi"
    3:12
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    O caso BPN esteve em destaque no programa Quadratura do Circulo desta quinta-feira. Pacheco Pereira relembrou que os maiores prejuízos são posteriores à nacionalização e responsabiliza José Sócrates. O Jorge Coelho disse que se fez justiça e que é uma prova que o Estado de direito português está a funcionar. Lobo Xavier garantiu também que Oliveira Costa era incompetente por natureza.

  • "O Brasil não parou e não vai parar"
    1:33

    Mundo

    O Presidente do Brasil diz ter condições para continuar à frente do Palácio do Planalto. Num vídeo publicado no Twitter, Michel Temer garante que o país não parou, nem vai parar, mas há uma nova gravação que pode comprometer o futuro do chefe de Estado.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Marcelo na peregrinação de Nossa Senhora de Fátima no Luxemburgo

    Mundo

    O Presidente da República participou esta quinta-feira, a título privado, na peregrinação em honra de Nossa Senhora de Fátima, na cidade luxemburguesa de Wiltz. Milhares de portugueses receberam Marcelo Rebelo de Sousa, que assistiu à missa e, durante alguns minutos, participou na procissão.