sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede 12 anos de prisão para patrão que mandou torturar funcionários

O Ministério Público de Cantanhede pediu hoje uma pena de 12 anos de prisão para o patrão de três madeireiros que em setembro do ano passado terá mandado seis funcionários torturarem três colegas de trabalho.

Os três homens foram violentamente agredidos, sufocados com sacos na cabeça e baleados. Os trabalhadores conseguiram fugir antes de ser lançado fogo à carrinha onde eram mantidos como prisioneiros.
A ordem de agressão terá sido dada pelo patrão que deu pela falta de 4 mil e 700 euros nas contas da empresa de madeiras e queria, a todo o custo, obter uma confissão do roubo.
O Ministério publico entende que os crimes ficaram todos provados em tribunal e pediu pena de prisão para todos os arguidos, 15 anos para dois dos funcionários, 12 para o patrão e uma pena mais leve para os restantes.
Dos sete arguidos, seis continuam em prisão preventiva, sendo o patrão o único que aguarda o fim do julgamento em liberdade.

  • Lesados do Banif confiaram "num sistema que os aldrabou"
    2:00
  • "Octávio Machado foi a terceira escolha" para o cargo
    2:01
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • Direita acusa presidente da Assembleia da República de não estar à altura do cargo
    2:06

    País

    O presidente da Assembleia da República está a ser novamente criticado pela oposição. Numa entrevista à Antena 1, Eduardo Ferro Rodrigues disse que não queria falar sobre o caso Galpgate para não causar espasmos à direita. Na reação, o CDS diz que a segunda figura do Estado deve abandonar as trincheiras partidárias. A direita acusa ainda que o presidente da Assembleia de não estar à altura do cargo.

  • "Sempre me senti em casa em Portugal"
    1:11