sicnot

Perfil

País

Greve dos estivadores arranca hoje em Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz

A greve dos estivadores arranca hoje nos portos de Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz, contra o fim do contrato coletivo de trabalho e a contratação de trabalhadores que os estivadores consideram "estranhos à profissão".

© Tim Chong / Reuters


O protesto, convocado pelo Sindicado dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal, arranca hoje às 08:00 e deverá prolongar-se até à mesma hora do dia 04 de dezembro.

Em causa está o fim do contrato coletivo de trabalho, que caduca hoje, com os trabalhadores contra as entidades empregadoras caso contratem "trabalhadores estranhos à profissão".

"Sabemos que neste momento estão a decorrer processos de recrutamento e formação de trabalhadores para nos substituírem. A partir de amanhã [sábado], data em que caduca o acordo coletivo de trabalho, vão sentir-se à vontade para por trabalhadores estranhos à profissão a fazer o trabalho dos estivadores", afirmou à Lusa, na sexta-feira o presidente do Sindicato dos Estivadores, António Mariano.

A greve irá centralizar-se no porto de Lisboa e estender-se aos portos de Setúbal e da Figueira da Foz para abranger cargas ou navios que possam vir a ser desviados para aí devido ao contexto de greve.

Os operadores do porto de Lisboa já consideraram "irracional" esta greve, afirmando que esses querem salvaguardar no acordo coletivo de trabalho, que estava a ser negociado, cláusulas que vão contra a lei, e referiram os prejuízos económicos e de credibilidade "enormes" e "irreversíveis" que o protesto irá trazer.

Lusa

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.