sicnot

Perfil

País

Hoje é Dia Mundial da Diabetes

O Dia Mundial da Diabetes assinala-se hoje com várias iniciativas pelo país que pretendem consciencializar a população para a importância de prevenir uma "doença silenciosa" que atinge mais de um milhão de portugueses.

© Heinz-Peter Bader / Reuters

Segundo dados do Inquérito Nacional de Saúde (INS) 2014, elaborado pelo Instituto Nacional de Estatística em colaboração com o Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge, verificou-se, entre 2005 e 2014, um aumento da proporção da população residente em Portugal que refere sofrer de diabetes.

"Mais do que um aumento dos novos casos de doença, estes valores traduzem, essencialmente, uma melhoria no diagnóstico desta patologia", refere o Departamento de Epidemiologia do INSA num comunicado que assinala a efeméride.

Dados do relatório "Factos e Números da Diabetes do Observatório Nacional de 2014" referem que a prevalência da doença voltou a aumentar em Portugal, atingindo 13,1% da população em 2014, ano em que apareceram cerca de 150 novos casos por dia e que quase metade dos doentes (40%) não sabia que tinha a doença.

Para alertar para a importância do diagnóstico, as farmácias da região centro vão promover até ao final do mês um programa de avaliação do risco de diabetes tipo 2 à população não diabética, em parceria com os Agrupamentos de Centros de Saúde da região, a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e a Associação Nacional das Farmácias.

Já a Direção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Diabetes, vai promover uma caminhada noturna pelos miradouros de Lisboa, tal como o município de Oeiras, que promoverá uma caminhada entre a Praia da Torre e a Praia de Santo Amaro de Oeiras.

Os núcleos de Diabetologia de Portimão e Lagos do Centro Hospitalar do Algarve também vão promover diversas iniciativas dirigidas a profissionais e a utentes, "num esforço de sensibilização e alerta para os fatores de risco associados à patologia".

No Porto irá decorrer o "Fórum Bial Diabetes", para debater, entre outras temas, a ligação entre esta doença e o cancro.

O Dia Mundial da Diabetes foi instituído pela Federação Internacional da Diabetes (International Diabetes Federation) e pela Organização Mundial da Saúde, em resposta à crescente prevalência da Diabetes no mundo.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.