sicnot

Perfil

País

Caravana "Famílias como as Nossas" rumo à Eslovénia com ajuda humanitária

A associação "Famílias como as Nossas" volta hoje a partir em viagem, tanto com ajuda humanitária que sai para Espanha com destino a Lesbos, na Grécia, como com uma nova caravana, que parte em direção à Eslovénia.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Em declarações à agência Lusa, o presidente da associação adiantou que a partida está marcada para as 11:00, do Jardim de Belém, em Lisboa, e que a caravana integra, para já, três carros e sete pessoas, com destino à fronteira entre a Eslovénia e a Áustria, estando a coordenação a cargo de Paulo Guião.

Segundo Nuno Félix, o propósito de trazer para Portugal famílias refugiadas não foi posto de parte, revelando que as informações que têm tido apontam para um agravamento das condições em que os refugiados se encontram.

"Para quem fazia sentido trazer uma família há um mês e qualquer coisa atrás, agora fará muito mais e, para mais, quando nós continuamos à espera de que, pelos veículos oficiais, estas famílias cheguem", sublinhou, acrescentando que não teriam essa iniciativa se a ajuda estivesse a chegar às famílias por outros meios.

Tal como da primeira vez, também agora quem vai terá de se responsabilizar pela família que trouxer, desde os procedimentos para a sua legalização até ao alojamento ou integração social e laboral.

Nesta caravana seguem, para já, sete pessoas, entre um piloto e um copiloto por carro, e uma enfermeira, "que é fluente em alemão e que pode dar imensa ajuda, já que o destino é a fronteira entre a Eslovénia e a Áustria".

A viagem vai durar aproximadamente uma semana, entre dois dias para a ida e outros dois para a volta, e três a cinco dias no terreno.

Caso alguma família de refugiados aceite vir para Portugal, tem de cumprir três requisitos: ser de origem síria, ter documentos a comprová-lo e ter filhos menores a cargo.

Nuno Félix lembrou, a propósito, que a família que veio na primeira caravana, a 03 de outubro, vai viver em Ovar, onde lhe foi apresentada uma proposta de habitação para dois anos e trabalho numa empresa da região.

Um facto que, para o presidente da associação, mostra que já há respostas em Portugal e que há pessoas que estão dispostas a ajudar.

"Se tivessem vindo há mais tempo, haveria mais pessoas a serem ajudadas (...) e tudo isto sem qualquer ajuda oficial", apontou.

Com a caravana de hoje, segue parte da ajuda humanitária recolhida, enquanto a restante, e que é a maior parte, segue também hoje para Espanha, com destino à ilha grega de Lesbos.

Nuno Félix explicou que a opção do envio da ajuda humanitária para Espanha teve que ver com o aproveitamento de sinergias com movimentos solidários espanhóis, indo os vários bens recolhidos em Portugal integrar quatro contentores de ajuda humanitária.

O presidente da associação "Famílias como as Nossas" revelou também que passarão a ser feitos envios mensais de ajuda humanitária para os refugiados que estão na Eslovénia, através dos canais do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

De acordo com Nuno Félix, dos bens recolhidos em Portugal, será feita uma triagem para que só sigam para os refugiados, por exemplo, as roupas adequadas às condições e clima do país.

A restante roupa será entregue a associações nacionais, como a Ajuda de Berço, que apoiam crianças e famílias em Portugal.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.