sicnot

Perfil

País

PAN quer que associações ambientais e zoófilas também possam receber doações de IRS

O PAN anunciou hoje uma iniciativa legislativa entregue no parlamento para que os contribuintes possam doar 0,5% do seu IRS a associações ambientais e zoófilas, doação que neste momento só é possível a entidades religiosas ou de cariz social.

Pessoas, Animais e Natureza (PAN), representado pelo deputado André Silva.

Pessoas, Animais e Natureza (PAN), representado pelo deputado André Silva.

ANT\303\223NIO COTRIM

Este projeto-lei para assegurar o acesso a benefícios fiscais por parte de associações ambientais e zoófilas integra o conjunto de três iniciativas legislativas com as quais o PAN (Pessoas-Animais-Natureza) assinala o início da legislatura.

"Atualmente, os contribuintes portugueses podem doar 0,5% do seu IRS a uma entidade religiosa ou outra de cariz social sediada em Portugal. O PAN considera que chegou o momento para que também estas associações ambientais e zoófilas sejam incluídas no elenco de entidades que usufruem deste benefício, já que também elas prosseguem fins públicos", refere o partido em comunicado.

De acordo com o texto do projeto-lei, "as dificuldades financeiras com que as associações ambientais e zoófilas muitas vezes se deparam no exercício das suas atividades", o PAN entende que chegou o momento de fazer este alargamento, propondo uma alteração da Lei nº 16/2001, de 22 de junho.

"Esta possibilidade não implica qualquer encargo para o Estado mas, tão-somente, maior liberdade para o doador que terá acesso a um leque mais alargado de entidades e constituirá certamente uma mais-valia para as beneficiadas", refere o texto do projeto.

O PAN explica que as outras duas iniciativas "foram apresentadas em virtude de ter ocorrido o agendamento do tema e de projetos de lei por parte de outros partidos políticos", juntando-se assim à defesa de medidas constantes no programa eleitoral: a adoção e apadrinhamento civil e a procriação medicamente assistida (PMA).

Na opinião do partido, "a orientação sexual não coloca em causa a capacidade de parentalidade", pretendendo o PAN contribuir para acabar com estes impedimentos e "promover a garantia de que as candidaturas e a possibilidade de adoção e apadrinhamento civil decorrerão de uma forma justa, sem preconceitos e independentemente da orientação sexual das/os candidatas/os, sejam solteiras/os, casadas/os ou unidas/os de facto".

Relativamente à PMA, o partido - que pela primeira vez conquistou um deputado na Assembleia da República -- defende a igualdade de direitos das mulheres uma vez que estamos "perante um caso claro de discriminação no acesso às técnicas de PMA permitida pela lei atualmente em vigor que, como tal, deverá ser alterada e melhorada" já que apenas as pessoas "casadas/os ou unidas/os de facto com pessoas de sexo diferente puderam beneficiar destas técnicas".

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.