sicnot

Perfil

País

Escolas de condução defendem videovigilância na salas de exames

​O presidente da Associação Portuguesa de Escolas de Condução (APEC), Alcino Cruz, defendeu hoje a implementação de um sistema de videovigilância em todas as salas de exames de código do país, para ajudar no combate à corrupção.

(SIC/ Arquivo)

(SIC/ Arquivo)

Em declarações à agência Lusa, a propósito da detenção na terça-feira de 14 pessoas, oito examinadores e seis proprietários e funcionários de escolas de condução, por suspeitas de corrupção passiva e ativa e falsificação de documentos, Alcino Cruz disse "não ter ficado surpreendido com o resultado da operação" levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ).

"Não me surpreendeu em nada. A corrupção nos exames de código não é nova. Já alertámos o IMT [Instituto da Mobilidade e dos Transportes] várias vezes e até agora nada foi feito. Nós defendemos que deveria haver em todas as salas de exames de código uma vigilância gravada e a interdição de telemóveis", salientou.

Alcino Cruz adiantou que a APEC já conta com equipamentos de videovigilância e que é proibido o uso de aparelhos eletrónicos nas suas salas de exames.

"Tivemos aqui várias pessoas que apresentaram equipamentos sofisticados ilegais e que conseguimos detetar porque temos todas as sessões gravadas em videovigilância. Não é permitida também a utilização de telemóveis. Mesmo que os levem para a sala de exames, não conseguem ter sinal", disse.

Na opinião de Alcino Cruz, sem a implementação da videovigilância "não é possível eliminar a corrupção nos exames de código".

"Nos exames de condução é mais difícil de elimnar a corrupção, mas nos de código é possível", salientou o mesmo responsável.

O presidente da APEC adiantou que a associação tem vindo a alertar para a situação desde 2000, sendo que em setembro passado voltou a falar sobre o assunto com o IMT.

"Defendemos também junto do IMT que as provas deveriam ser localizadas no centro de exames e que a legislação deveria ser mais dura para quem viola as regras", concluiu.

A PJ informou na terça-feira que na operação "Megahertz" foram detidos doze homens e duas mulheres ligados a fraudes com cartas de condução, tendo sido realizadas oitenta buscas domiciliárias e não domiciliárias.

De acordo com a SIC, oito dos detidos são do centro de exames do Automóvel Clube de Portugal (ACP), no Porto.

Segundo a PJ, o modo de atuação dos alegados suspeitos da prática dos crimes consistia em fazer aprovar os candidatos em exames teóricos (Código), com recurso à utilização de diversos equipamentos tecnológicos para registo de imagem e comunicação rádio com o objetivo de obtenção das respostas corretas, mediante contrapartidas de quantias monetárias.

Lusa

  • Detidos 8 examinadores e 6 proprietários e funcionários de escolas de condução
    2:01

    País

    Catorze pessoas foram detidas esta manhã, oito examinadores e seis proprietários e funcionários de escolas de condução, numa grande operação da Polícia Judiciária (PJ) no norte do país. Realizaram-se no total 70 buscas que envolveram 150 inspetores da PJ numa operação de grande envergadura que visou uma megafraude na obtenção de cartas de condução.

  • Examinadores do ACP do Porto detidos em fraude com cartas de condução
    3:22

    País

    Catorze pessoas foram detidas, esta manhã, numa grande operação da Polícia Judiciária (PJ) no norte do país. Estão a decorrer mais de 70 buscas e há 150 inspetores envolvidos. Os detidos são na maior parte examinadores do centro de exames do Automóvel Clube de Portugal (ACP), no Porto. São oito examinadores e seis responsáveis e funcionários de escolas de condução. O Ministério Público e a polícia suspeitam de que fazem parte de uma rede que, a troco de muito dinheiro, facilitava a aprovação de exames de código. A repórter Catarina Folhadela dá conta de mais pormenores sobre este caso de fraude nas cartas de condução.

  • Megafraude nas cartas de condução, 14 detidos

    País

    É uma gigantesca fraude na obtenção de cartas de condução: catorze pessoas foram detidas esta manhã numa grande operação da Polícia Judiciária no norte do país. Estão a decorrer mais de 70 buscas e há 150 inspetores envolvidos.

  • Explosão em restaurante no Canadá causa pelo menos 15 feridos, 3 graves
    0:56

    Mundo

    Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas numa explosão em Mississauga, Ontário, no Canadá. Três vítimas estão em estado grave. Os feridos foram levados para vários hospitais da zona. De acordo com as autoridades, a explosão foi causada por dois homens, com cerca de 20 anos, num restaurante indiano, que fugiram do local depois do ataque. A zona foi evacuada e a polícia está a investigar o caso.

    Em atualização

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC