sicnot

Perfil

País

Prédio que ardeu na Ribeira do Porto sem segurança, inquilinos "devem ser despejados"

O prédio que ardeu há quase um mês na Ribeira do Porto, deixando dez desalojados, "não oferece condições de segurança" e os "inquilinos devem ser despejados", conclui um relatório da Proteção Civil do Porto.

Lusa

Lusa

RICARDO CASTELO

"O edificado na Rua Cimo do Muro n.º 39/40, não oferece condições de segurança para ser habitado pelos inquilinos que devem ser despejados ficando o prédio inoperativo até que reúna condições de segurança e salubridade", lê-se num documento do Departamento Municipal da Proteção Civil do Porto, a que a Lusa teve hoje acesso.

O revestimento de paredes e tetos, a caixa de escada e os compartimentos de habitação estão "passíveis de derrocada", a instalação elétrica e o abastecimento de água ficaram "inoperativos" e os compartimentos habitacionais estão "inoperativos e sem condições mínimas de segurança e salubridade para serem ocupados", acrescenta o relatório da Proteção Civil, que informa que o prédio de "construção antiga" e com "quatro andares habitacionais" apresenta "grave perigo para a saúde pública".

Ao abrigo do "estado de necessidade" e para "salvaguarda da segurança" foram executadas pelo Município do Porto medidas como "escoramento dos patamares, escadas e corrimão da caixa de escada comum", "retirada dos elementos construtivos, do interior do prédio, em perigo de queda", retirada de escombros e entulhos", "fecho dos vãos" e apoio ao desmonte dos objetos/mobílias para depósito em armazém municipal", explica o documento, que foi enviado à Direção Regional de Cultura do Norte, e recebeu parecer do coordenador do Gabinete de Operações de Proteção e Socorro, e do comandante do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto.

O documento refere-se que a DomusSocial, Empresa Municipal, deveria ser informada de que o realojamento dos ocupantes do prédio "foi assumido pelo Instituto de Segurança Social"

Contactado pela Lusa, fonte da Unidade de Comunicação do Instituto da Segurança Social informa que " todos os agregados familiares [dez famílias] manifestaram como único projeto a atribuição de habitação social".

"Até ao momento, nenhum agregado familiar apresentou junto dos nossos serviços qualquer alternativa de alojamento para que fosse avaliado apoio económico por parte da Segurança Social às famílias desalojadas pelo incêndio, pelo que permanecem em casa de familiares", refere a Segurança Social, numa resposta à Lusa via correio eletrónico.

O Centro Distrital do Porto do Instituto da Segurança Social, e no âmbito das suas competências, acrescenta que foram "elaboradas e enviadas as informações sociais de todos os agregados familiares à empresa municipal de habitação, no sentido de ser equacionada a atribuição de habitação social".

No dia do incêndio, o vereador da Proteção Civil da Câmara do Porto, Manuel Sampaio Pimentel, garantiu que os inquilinos desalojados do incêndio iam ter casa.

"Nunca ninguém ficará sem casa", declarou à Lusa o vereador da Proteção Civil do Porto, Manuel Sampaio Pimental, acrescentando que ia falar com a Segurança Social e seguir os procedimentos normais numa situação de realojamento.

A Lusa tentou obter informações junto da Câmara Municipal do Porto, mas até ao momento não foi possível obter qualquer resposta.

Lusa

  • Partidos vão apresentar propostas alternativas à descida da TSU
    2:52

    TSU

    O Presidente da República defende a redução da Taxa Social Única mas deixa a porta aberta a outra via para compensar o aumento do salário mínimo. PCP e Bloco de Esquerda insistem que não pode haver contrapartidas que estimulem os salários baixos mas admitem outras formas de aliviar as empresas. À direita, também o CDS irá apresentar propostas.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.