sicnot

Perfil

País

Sócrates acusa Cavaco de estar a preparar campanha eleitoral da direita

O ex-primeiro-ministro José Sócrates acusou hoje Cavaco Silva de estar a atuar com base no ressentimento e considerou que a demora na resolução do impasse político tem como intenção construir as bases da campanha eleitoral da direita.

LUSA

"No fundo, o que o senhor Presidente da República quer fazer e está a fazer é sublinhar a anormalidade desta solução política, mostrar que ela é muito anormal, que ela é muito estranha, para com isso construir as bases da campanha eleitoral que a direita vai fazer, ou melhor, as bases da campanha eleitoral que a direita um dia fará contra o futuro Governo que ainda não o é", afirmou José Sócrates, numa intervenção num almoço organizado em sua homenagem pelo movimento Cívico "José Sócrates Sempre", em Lisboa.

Falando pela primeira vez sobre a atualidade política, o antigo primeiro-ministro deixou duras críticas ao chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, acusando-o de estar a atuar com base no ressentimento e sublinhando nunca ter visto "um Presidente terminar tão só".

Lusa

  • "Nunca vi um Presidente tão só"
    1:01

    País

    José Sócrates foi hoje homenageado num almoço na antiga FIL em Lisboa, que contou a presença de Mário Soares. É a terceira iniciativa em que o ex-primeiro-ministro participa desde que deixou a prisão domiciliária e aproveitou a oportunidade para apontar baterias a Cavaco Silva. Sócrates considerou que esta foi a década perdida para a Presidência da República e nunca viu um Presidente tão só.

  • As respostas de José Sócrates
    6:07

    Operação Marquês

    José Sócrates respondeu a perguntas enviadas pela SIC há três semanas. As respostas só chegaram na passada quinta-feira ao final da tarde. Em sete páginas, o ex-primeiro-ministro nega os negócios de fachada, a compra massiva de livros, o emprego simulado e a linguagem codificada para falar de dinheiro.

  • Os "esquemas" de financiamento de Santos Silva a Sócrates
    3:46

    Operação Marquês

    Na tese da investigação, José Sócrates e Carlos Santos Silva terão arranjado vários esquemas para fazer sair o dinheiro das contas do empresário para o bolso do antigo primeiro-ministro. Um delas passaria pelo pagamento de viagens e hotéis. O Ministério Público diz que, em seis anos, o empresário Carlos Santos Silva gastou mais de 350 mil euros em viagens para ambos ou apenas para o ex-primeiro-ministro.

  • Um ano depois da prisão de Sócrates a investigação ainda está longe do fim
    3:56

    Operação Marquês

    Praticamente um ano depois da prisão de José Sócrates, a investigação da Operação Marquês está ainda longe do fim. Os investigadores continuam a trabalhar numa montanha de papel e de informação: extratos bancários, contratos de obras públicas, escutas e outras provas, que levam a um labirinto de pistas onde é difícil seguir o rasto do dinheiro. Há três semanas, a SIC enviou a José Sócrates uma lista de perguntas relacionadas com as suspeitas do processo, mas os esclarecimentos chegaram apenas esta quinta-feira, já ao final da tarde. A SIC irá isso divulgar esta sexta-feira as respostas dadas pelo ex-primeiro-ministro.

  • Até onde avançou a Operação Marquês
    28:47

    Operação Marquês

    Faz esta semana um ano que José Sócrates foi detido por suspeitas de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito. Vamos procurar mostrar até onde avançou a investigação, que já leva quase dois anos e meio. Tentámos obter respostas e ouvir as vozes das defesas dos arguidos, mas apenas o advogado de João Perna aceitou a entrevista. Também a José Sócrates a SIC enviou há três semanas uma lista de perguntas e a resposta dos advogados chegou apenas hoje, já ao fim da tarde: são sete páginas enviadas por correio eletrónico. Não vieram a tempo de serem tratadas para integrar esta reportagem, mas a notícia será dada esta sexta-feira no Jornal da Noite.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.