sicnot

Perfil

País

Simulacro no distrito de Lisboa recria cenário das cheias de 1967 e 1983

Os cenários meteorológicos que originaram as cheias de 1967 e 1983 na região de Lisboa vão ser recriados na próxima semana, no âmbito de um exercício que vai juntar os serviços de Proteção Civil dos 16 municípios do distrito.

© Rafael Marchante / Reuters

O exercício, designado por Aqua Lx 2015, é organizado pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa e contará com o envolvimento de cerca de 230 operacionais afetos aos serviços de Proteção Civil municipais.

A iniciativa vai desenvolver-se entre segunda (30 de novembro) e quinta-feira (03 de dezembro), referiu hoje à agência Lusa o segundo comandante operacional distrital de Lisboa, André Fernandes.

"Trata-se de um exercício que visa testar o plano distrital e os planos das autarquias envolvidas num eventual cenário de cheias. É muito importante treinar as trocas de comunicação e as rotinas necessárias. Basicamente, olear o sistema", apontou.

André Fernandes explicou que irão ser recriadas as condições meteorológicas registadas em 1967 e 1983, com precipitação e vento forte, que originaram cheias em todo o distrito de Lisboa.

"Vão ser criados cenários de cheias rápidas. A ideia é conseguir arranjar soluções para os desafios que vão surgindo", afirmou.

Nesse sentido, o responsável distrital referiu que o exercício vai ser dividido em quatro fases.

Na segunda-feira serão emitidos os alertas, na terça-feira ativados os Planos de Emergência e Proteção Civil, na quarta-feira decorre a confrontação com a situação de cheia e na quinta-feira o rescaldo da situação.

Um dos municípios que vai participar neste exercício é o de Loures, onde a expetativa é "muito elevada tendo em conta que se trata de um concelho com muitas zonas de risco", explicou à Lusa o comandante operacional municipal da Proteção Civil de Loures, Joaquim Vicente.

"O município de Loures está muito empenhado em levar este exercício muito a sério e quer aproveitar ao máximo. Sabemos da sua importância para afinar as rotinas e poder responder de forma mais eficaz às adversidades que se colocam", apontou.

Joaquim Vicente referiu que do lado do município de Loures vão participar neste exercício perto de uma centena de operacionais.

Será testada a criação de um Centro de Coordenação Operacional Municipal alternativo (partindo do pressuposto de que o principal foi danificado) e criados três Postos de Comando Avançado.

Além de Loures, participam no exercício os municípios de Lisboa, Odivelas, Amadora, Sintra, Mafra, Oeiras, Cascais, Vila Franca de Xira, Azambuja, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã.

As cheias de 26 de novembro de 1967 causaram mais de 700 mortos e desalojaram mais de mil pessoas, tendo especial incidência nos municípios de Loures, Odivelas e Alenquer.

Já as cheias de 18 de novembro de 1983 causaram a morte de 10 pessoas e desalojaram 1.800 famílias, sendo os mais afetados os concelhos de Lisboa, Loures e Cascais.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.