sicnot

Perfil

País

Concentração da CGTP junta dezenas no Largo Camões

Algumas dezenas de pessoas estão esta tarde concentradas no Largo do Camões, em Lisboa, para reivindicar uma mudança de políticas para o país e uma melhoria das condições de vida e de trabalho dos portugueses, numa iniciativa da CGTP.

(arquivo)

(arquivo)

TIAGO PETINGA

Empunhando bandeiras da central sindical e cartazes como "cumprir a constituição", "serviços públicos sim, privatizações não" ou "aumento dos salários", os participantes assistem à atuação de um grupo musical, enquanto aguardam pela intervenção do secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

A CGTP promove hoje concentrações em Lisboa, Porto e Braga pela defesa da Constituição da República, mudança de política e concretização das propostas da CGTP-IN e dos trabalhadores.

OS sindicalistas e trabalhadores dos distritos a sul de Coimbra estão concentrados na Praça Luís de Camões, em Lisboa, enquanto os dos distritos a norte de Coimbra concentram-se no Porto, na Praça da Batalha.

A CGTP marcou as concentrações na semana passada para exigir que o Presidente da República respeitasse a Constituição, dando sequência à solução governativa apresentada pelos partidos de esquerda.

Tendo em conta que entretanto Cavaco Silva quebrou o impasse e já empossou o Governo de António Costa, a Inter manteve a ação reivindicativa para exigir "a derrota da política de direita, com uma melhor distribuição de riqueza e o combate ao empobrecimento e exclusão social".

A reposição dos salários e pensões, a revisão do salário mínimo e a revogação da legislação laboral nociva para os trabalhadores, são outras das reivindicações a salientar nas concentrações.

Lusa

  • CGTP espera sensibilidade social do novo Executivo

    País

    O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse hoje esperar que o novo Governo tenha sensibilidade social não só para ouvir, como para dar correspondência às propostas da central sindical, regozijando-se com a queda do executivo do PSD/CDS.

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17