sicnot

Perfil

País

Concentração da CGTP junta dezenas no Largo Camões

Algumas dezenas de pessoas estão esta tarde concentradas no Largo do Camões, em Lisboa, para reivindicar uma mudança de políticas para o país e uma melhoria das condições de vida e de trabalho dos portugueses, numa iniciativa da CGTP.

(arquivo)

(arquivo)

TIAGO PETINGA

Empunhando bandeiras da central sindical e cartazes como "cumprir a constituição", "serviços públicos sim, privatizações não" ou "aumento dos salários", os participantes assistem à atuação de um grupo musical, enquanto aguardam pela intervenção do secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

A CGTP promove hoje concentrações em Lisboa, Porto e Braga pela defesa da Constituição da República, mudança de política e concretização das propostas da CGTP-IN e dos trabalhadores.

OS sindicalistas e trabalhadores dos distritos a sul de Coimbra estão concentrados na Praça Luís de Camões, em Lisboa, enquanto os dos distritos a norte de Coimbra concentram-se no Porto, na Praça da Batalha.

A CGTP marcou as concentrações na semana passada para exigir que o Presidente da República respeitasse a Constituição, dando sequência à solução governativa apresentada pelos partidos de esquerda.

Tendo em conta que entretanto Cavaco Silva quebrou o impasse e já empossou o Governo de António Costa, a Inter manteve a ação reivindicativa para exigir "a derrota da política de direita, com uma melhor distribuição de riqueza e o combate ao empobrecimento e exclusão social".

A reposição dos salários e pensões, a revisão do salário mínimo e a revogação da legislação laboral nociva para os trabalhadores, são outras das reivindicações a salientar nas concentrações.

Lusa

  • CGTP espera sensibilidade social do novo Executivo

    País

    O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse hoje esperar que o novo Governo tenha sensibilidade social não só para ouvir, como para dar correspondência às propostas da central sindical, regozijando-se com a queda do executivo do PSD/CDS.

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32