sicnot

Perfil

País

Ministro da Saúde diz que vai reavaliar despacho sobre fecho de urgências

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, admitiu hoje ir reavaliar em função do "interesse do país" um despacho publicado em Diário da República que altera a organização da rede de urgências hospitalares e encerra 11 urgências.

JOS\303\211 COELHO

"Relativamente ao encerramento de urgências é um dos dossiês que nós estamos a estudar e a procurar recolher informação necessária, para que a decisão seja uma decisão ponderada e tenha em conta o interesse das populações", assumiu o novo ministro da Saúde, à margem do XVIII Congresso Nacional de Medicina, que terminou hoje os trabalhos na cidade do Porto.

O ministro da Saúde não disse, contudo, se ia ou não anular a decisão de encerrar 11 urgências.

"Não admito revogar ou deixar de revogar, admito garantir que o interesse geral será estudado, será reavaliado em função daquilo também que é o interesse do país.

O Governo de gestão publicou em Diário da República, na sexta-feira passada, dia 20, um despacho que altera a organização da rede de urgências hospitalares.

O despacho, que deverá produzir efeitos dentro de seis meses, lembra que, em 2011, foi criada a Comissão para a Reavaliação da Rede Nacional de Emergência e Urgência (CRRNEU), com a missão de avaliar o estado de implementação daquela rede, nomeadamente a distribuição territorial existente, as condições de acesso e a composição das respostas existentes, bem como propor alterações.

Questionado pelos jornalistas sobre a ameaça de os médicos avançarem para tribunal se o plano de contingência da gripe lhes retirar as férias de Natal e do Ano novo, o ministro disse que tinha de haver um equilíbrio entre a lei e o interesse público, mas asseverou que as situações que se verificaram no ano passado não são para repetir.

"Tenho a certeza de que tratando-se de matéria da competência das instituições de Saúde, nomeadamente dos hospitais, que haverá um equilíbrio entre aquilo que é o cumprimento da lei e aquilo que é o interesse público".

Adalberto Campos Fernandes recordou que Portugal não pode repetir este ano as situações verificadas no ano passado e afirmou que a "lei será cumprida".

"Nós somos um Estado de Direito e seguramente que as instituições que dependem do Ministério da Saúde farão cumprir a lei em articulação estreita com os representantes dos sindicatos e nessa matéria não me oferece grande preocupação".

O ministro da Saúde referiu ainda que a primeira preocupação é garantir que os portugueses tenham uma "resposta atempada face a uma necessidade aguda de procura de cuidados" e que, a questão das férias dos médicoa, será vista "caso a caso em função do cumprimento da lei e respeito pelo interesse público".

Lusa

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16
  • Obama diz que não fica em silêncio se os valores do país forem ameaçados
    2:26
  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Nevão provocou corte de energia no centro dos EUA
    1:37

    Mundo

    Uma tempestade de neve no centro dos Estados Unidos da América provocou cortes no abastecimento de eletricidade, atrasos em voos e dificuldades na circulação rodoviária. Em Espanha, a descida das temperaturas levou à emissão de avisos em 30 províncias de norte a sul do país e deixou 27.700 alunos sem aulas em Valência.

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..