sicnot

Perfil

País

Relação absolve ex-ministra Maria de Lurdes Rodrigues

O Tribunal da Relação de Lisboa absolveu hoje Maria de Lurdes Rodrigues. A antiga ministra da Educação tinha sido condenada em primeira instância a três anos e seis meses de pena suspensa, por prevaricação de titular de cargo político.

Maria de Lurdes Rodrigues / Arquivo Lusa

Maria de Lurdes Rodrigues / Arquivo Lusa

A Relação considerou que não houve dolo nem intenção de beneficiar o advogado João Pedroso, irmão do ex-ministro Paulo Pedroso, contratado por ajuste direto para consultoria jurídica no valor de 220 mil euros.

Além da antiga ministra de Sócrates, também foram absolvidos o então secretário de Estado do Ministério da Educação, João da Silva Batista, e João Pedroso. Ambos tinham sido sido condenados a três anos e seis meses de prisão, igualmente com pena suspensa.

  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.