sicnot

Perfil

País

GNR deteve homem em Trancoso com sete quilogramas de explosivos e armas ilegais

A GNR anunciou hoje a detenção de um homem de 62 anos, reformado, por posse ilegal de armas, munições e sete quilogramas de explosivos, em Trancoso, no distrito da Guarda.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda adiantou à agência Lusa que o homem foi hoje detido por elementos do Núcleo e Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Pinhel no cumprimento de mandados de busca.

O suspeito estava na posse de sete quilogramas de explosivo gelamonite (um total de 52 velas), 127 detonadores normais, seis detonadores elétricos, dois foguetes, 110 metros de cordão detonante e 65 metros de cordão detonante lento.

A fonte da GNR indicou que, devido à existência do material explosivo, foi chamada ao local a equipa de Inativação de Engenhos Explosivos do Comando Territorial da Guarda.

As autoridades policiais estão a investigar "os motivos da posse do material explosivo, bem como a sua origem", adiantou.

Na mesma operação, a GNR também apreendeu uma caçadeira, uma arma de fogo calibre 6.35 milímetros (mm), um aerossol de defesa, 11 cartuchos e 10 balas de calibre 12 mm, 10 zagalotes e 45 munições de calibre 6.35 mm.

O detido vai ser presente na sexta-feira ao tribunal de Trancoso para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventual medida de coação.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.