sicnot

Perfil

País

GNR deteve homem em Trancoso com sete quilogramas de explosivos e armas ilegais

A GNR anunciou hoje a detenção de um homem de 62 anos, reformado, por posse ilegal de armas, munições e sete quilogramas de explosivos, em Trancoso, no distrito da Guarda.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda adiantou à agência Lusa que o homem foi hoje detido por elementos do Núcleo e Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Pinhel no cumprimento de mandados de busca.

O suspeito estava na posse de sete quilogramas de explosivo gelamonite (um total de 52 velas), 127 detonadores normais, seis detonadores elétricos, dois foguetes, 110 metros de cordão detonante e 65 metros de cordão detonante lento.

A fonte da GNR indicou que, devido à existência do material explosivo, foi chamada ao local a equipa de Inativação de Engenhos Explosivos do Comando Territorial da Guarda.

As autoridades policiais estão a investigar "os motivos da posse do material explosivo, bem como a sua origem", adiantou.

Na mesma operação, a GNR também apreendeu uma caçadeira, uma arma de fogo calibre 6.35 milímetros (mm), um aerossol de defesa, 11 cartuchos e 10 balas de calibre 12 mm, 10 zagalotes e 45 munições de calibre 6.35 mm.

O detido vai ser presente na sexta-feira ao tribunal de Trancoso para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventual medida de coação.

Lusa

  • Marcelo não comenta proposta sobre nomeação do governador do BdP
    0:14

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar a proposta do grupo de trabalho para a reforma da supervisão financeira, que recomenda que o governador do Banco de Portugal seja nomeado pelo Presidente da República. Marcelo não quis comentar o assunto esta quarta-feira durante a tomada de posse do Reitor da Universidade de Lisboa.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.