sicnot

Perfil

País

Paulo de Morais apela à "libertação imediata" de ativistas angolanos

O candidato à Presidência da República Paulo de Morais apela, numa carta aberta ao presidente de Angola, à "libertação imediata" dos ativistas cujo julgamento decorre em Luanda, afirmando-se "sensível ao apelo de liberdade que ecoa da sociedade civil angolana".

(SIC/ Arquivo)

Na carta aberta a José Eduardo dos Santos, publicada no jornal angolano de oposição Folha 8, Paulo de Morais refere a "preocupação" com que "o mundo tem acompanhado" o processo judicial dos 17 jovens ativistas angolanos (15 dos quais presos desde junho) que são acusados de "atos preparatórios de rebelião e golpe de Estado" e destaca os "sinais alarmantes" de que o seu julgamento "está contaminado por uma justiça parcial e persecutória".

Entre as "graves violações" que aponta estão a negação aos arguidos de "direitos elementares de defesa" e o impedimento de acesso por parte de observadores internacionais, comunicação social independente e dos familiares dos acusados.

Para o candidato presidencial, fica assim reforçada a "evidência de que na génese deste processo estão acusações políticas que têm como único fim penalizar cidadãos pacíficos por exercerem o seu direito à liberdade de expressão e constranger o povo angolano ao medo e à obediência muda perante as autoridades do Estado".

É que, recorda, o processo movido contra estes jovens ativistas "não é um caso isolado, antes faz parte de um padrão de violação das liberdades individuais em Angola, já exercida sobre cidadãos como Rafael Marques de Morais, José Marcos Mavungo e Arão Bula Tempo", a que se juntaram em abril os incidentes ocorridos no Monte Sumi, envolvendo fiéis do movimento religioso A Luz do Mundo.

"No pode deixar de inquietar V. Exa. (...) que a atuação das forças do Estado a que V. Exa. preside seja alvo de críticas e manifestações de alarme não só de jovens ativistas, líderes civis, políticos e religiosos angolanos, mas também de organizações internacionais como o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, o Parlamento Europeu ou o Senado dos Estados Unidos da América", sustenta Paulo de Morais.

Afirmando não poder "deixar de ser sensível ao apelo de liberdade que ecoa da sociedade civil angolana", o candidato sustenta que "compete aos chefes de Estado, em Lisboa e em Luanda, celebrar -- não constranger -- a liberdade duramente conquistada".

"Os jovens ativistas que estão atualmente a ser julgados não cometeram qualquer crime. Longe de serem uma ameaça ao Estado angolano, são pelo contrário cidadãos empenhados em dar ao seu país um contributo para a paz e a liberdade plenas a que todos os angolanos aspiram", escreve Morais, defendendo que "o Estado deve proteger estes cidadãos e acarinhar o seu contributo", porque "são eles quem continuará o trabalho de libertação iniciado pelas gerações anteriores".

Apelando a Eduardo dos Santos que dê "o primeiro passo" usando "os seus poderes legais e constitucionais para libertar todos os ativistas alvos de perseguição política e encerrar os processos que contra eles foram instruídos", Paulo de Morais considera que, no "momento histórico" que Angola atravessa, este é "o melhor contributo" que o Chefe de Estado angolano "pode dar à transição democrática que, depois de tantos sacrifícios, o povo angolano iniciou em 2002".

Lusa

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.