sicnot

Perfil

País

Prisão preventiva para suspeito de duplo homicídio em Albergaria

O suspeito de ter matado a tiro dois homens, em Albergaria-a-Velha, na passada sexta-feira vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje à Lusa fonte da Polícia Judiciária (PJ).

O detido foi presente este sábado a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Águeda, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa prevista na lei penal portuguesa.

O alegado homicida está indiciado pela prática de dois crimes de homicídio. Os crimes ocorreram na passada sexta-feira, cerca das 00:30, em Assilhó, Albergaria-a-Velha, junto à casa do suspeito.

Uma das vítimas terá morrido de imediato e a outra ainda conseguiu pedir ajuda num café situado nas imediações, mas não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer no local.

Fonte da PJ disse à Lusa que na origem do crime terá estado um desentendimento entre o autor dos disparos e as vítimas relacionado com atuação ilícita, nomeadamente roubo e tráfico de droga.

Após os crimes, o suspeito fugiu do local a pé e andou a monte 17 horas até ser detido pela PSP, cerca das 17:30, quando se encontrava no interior de um café situado na freguesia de Santa Joana, em Aveiro.

"O homem encontrava-se armado, mas não ofereceu resistência", referiu fonte da PSP.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.