sicnot

Perfil

País

Jerónimo de Sousa adverte que PCP não fará "favores a ninguém"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, assegurou hoje que o partido irá honrar o compromisso com o PS, mas advertiu que não fará favores a ninguém e que não abdicará de defender os interesses dos trabalhadores.

M\303\201RIO CRUZ

"Da parte do PCP o que o PS pode esperar é empenho e honra na palavra dada. Agora, não peçam é que abdiquemos do nosso projeto ou da nossa identidade", ressalvou o líder comunista.

Jerónimo de Sousa, que falava num almoço com militantes em Aveiras de Cima, Azambuja, recordou o processo negocial com o atual governo e congratulou-se com o facto de ter conseguido incluir no programa algumas propostas que podem "ajudar a mudar a vida dos portugueses".

"O PS estava com os pneus em baixo e depois de ouvir o PCP percebeu que era possível dar corpo a uma solução política. É pouco e limitado mas o povo português também não estava à espera que fosse tudo feito de uma vez. Agora, também não queríamos que fosse tão pouco para ficar tudo na mesma", sublinhou.

No entanto, o líder comunista reconheceu que o caminho com o novo Governo "não será linear e simples", dadas as "contradições ideológicas" entre os partidos.

Jerónimo de Sousa criticou também a coligação PSD/CDS-PP, acusando-os de terem dito "mentirolas" ao longo de toda a campanha eleitoral, evitando assim terem uma derrota mais expressiva nas eleições.

"Se tivessem dito toda a verdade sobre a sobretaxa e sobre o Banif a pancada teria sido maior", atestou.

O secretário-geral do PCP acusou igualmente alguns comentadores de "direita" de odiarem o PCP por terem estragado a festa à coligação e a Cavaco Silva.

"Ninguém nos tira a alegria de ter visto a derrota do CDS e do PSD. Estragámos a festa e os cenários de Cavaco Silva. Daí a raiva e a zanga de muitos comentadores de serviço para com o PCP, sendo que não é a mesma para com o PS ou Bloco de Esquerda", apontou.

Por fim, Jerónimo de Sousa apelou aos militantes o apoio à candidatura de Edgar Silva, realçando o facto de ser o único que "convoca para os valores de abril e para o cumprimento da Constituição".

"Amanhã vamos entregar no tribunal mais assinaturas para este candidato do que entregámos nas últimas duas eleições. Isso é um bom sinal", perspetivou.

Lusa

  • "Serei o Presidente de todos os angolanos"
    2:06
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Supervisão bancária origina novo diferendo entre Carlos Costa e Governo
    0:57

    Economia

    Reacendeu-se a guerra entre o Governo e o governador do Banco de Portugal. Em conferência na sede do banco, esta segunda-feira, Carlos Costa deixou uma crítica indireta ao novo modelo de supervisão bancária. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não gostou e exigiu a Carlos Costa que se retratasse, mas o governador recusou-se.

  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.