sicnot

Perfil

País

Sobrinho Simões "muito contente" com votação como patologista mais influente do mundo

O presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP), Sobrinho Simões, mostrou-se hoje "muito contente" por ter sido eleito o patologista mais influente do mundo e disse esperar que aumente o interesse naquela especialidade.

SIC/Arquivo

SIC/Arquivo

"É evidente que fiquei muito contente exatamente por ser uma votação entre pares, de todo o mundo, em que há 100 nomeados e muitas das pessoas são patologistas que eu admiro imenso", afirmou à Lusa Sobrinho Simões, no dia em que foi conhecida a publicação da primeira lista dos 100 patologistas mais influentes do mundo pela revista The Pathologist.

Questionado sobre a importância desta votação para a patologia portuguesa, o investigador disse que há poucos patologistas em Portugal e "cada vez em menor número porque é uma especialidade muito difícil, não se ganha muito bem e é muito exigente".

"E, portanto, a visibilidade da patologia dada agora por esta eleição e sendo em Portugal e sendo a primeira vez, essa noção de que nós somos capazes de competir internacionalmente e de ser conhecidos torna interessante a profissão para jovens médicos quando estão a escolher a profissão e esperamos que isto possa ser usado como chamariz para aumentar o recrutamento de bons patologistas", acrescentou Sobrinho Simões.

Entre as frases dos eleitores sobre o médico português selecionadas pela revista pode ler-se que Sobrinho Simões "contribuiu mais do que qualquer outra pessoa para a visibilidade da patologia na Europa" e que se trata de "um cientista proeminente de um pequeno país com poucos recursos, fundador de uma instituição proeminente que faz a diferença, sem sair do seu país".

O professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) sublinhou que terá ganhado "muitos votos a partir da Turquia, da Roménia, da Sérvia, do Brasil, da Colômbia", por exemplo, por serem países de onde provêm muitos patologistas que passam pelo IPATIMUP e pela FMUP, locais "de acolhimento de patologistas de muitos sítios".

Na lista encontram-se outros dois nomes ligados ao IPATIMUP como o da também antiga presidente da Sociedade Europeia de Patologia Fátima Carneiro e o de Jorge Reis-Filho.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.