sicnot

Perfil

País

Polícia canadiana detém suspeito com ligações a homicídio de lusodescente

A polícia de Toronto, Canadá, anunciou hoje que deteve um suspeito relacionado com o homicídio de um lusodescendente ocorrido em 2012.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Mark Blinch / Reuters

Mike Pimentel, de 24 anos, foi esfaqueado mortalmente na Liberty Village, em Toronto, nas primeiras horas de 2012.

Um ano após a morte do lusodescendente, um detetive da unidade de homicídios da polícia começou a divulgar algumas fotos e pistas relacionadas com o caso na rede social twitter, na tentativa de chegar aos responsáveis.

Este método foi utilizado pela primeira vez naquela força de segurança e foi inspirada pelo popular 'podcast' "Serial", que gradualmente divulgava informações da vida real de um homicida norte-americano.

Hoje a polícia anunciou, em conferência de impressa, que deteve Shawn Poirier, de 30 anos, de Calgary (Alberta), acusado de homicídio em segundo grau na morte de Mike Pimentel.

A polícia disse ainda que a utilização das redes sociais foi "determinante" para identificar as testemunhas e para reunir novas provas no caso.

As autoridades estão à procura do taxista que transportou o suspeito.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.