sicnot

Perfil

País

Maioria parlamentar revoga prova de avaliação de professores

A maioria parlamentar aprovou hoje projetos de lei de BE e PCP para revogar a Prova de Avaliação de Conhecimentos e Competências (PACC) dos professores, assim como o regime de requalificação dos docentes.

MIGUEL A. LOPES

PS, BE, PCP, PEV e PAN aprovaram as iniciativas bloquistas e comunistas, enquanto PSD e CDS-PP votaram contra aquelas propostas.

O deputado socialista Paulo Trigo Pereira absteve-se quanto ao projeto de lei do BE sobre a PACC.

A antiga coligação Portugal à Frente, constituída por sociais-democratas e democratas-cristãos, também viu "chumbado", por todas as outras bancadas parlamentares, o seu projeto de resolução a recomendar o reconhecimento e reforço das denominadas entidades da economia social (Instituições Particulares de Solidariedade Social, fundações, entre outras).

Por seu turno, a resolução do PCP, a fim de estabelecer um Estatuto da Agricultura Familiar Portuguesa foi rejeitado, em virtude dos votos contra de sociais-democratas e centristas e da abstenção socialista, enquanto os restantes grupos parlamentares concordaram com a medida.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.