sicnot

Perfil

País

Ministério Público tenta identificar autores da queima do gato de Vila Flor

A associação de defesa dos animais Grupo Gatos Urbanos informou hoje que a investigação à queima do gato em Vila Flor ainda prossegue e que o Ministério Público está a tentar identificar os autores do ato.

A associação constitui-se assistente no processo e divulgou hoje esclarecimentos obtidos pelos advogados que a representa e que indicam que prossegue a investigação em que a única arguido, até ao momento, é a dona do animal, mas que outras pessoas já foram ouvidas e que estão a ser realizadas perícias para esclarecer o caso.

O Grupo Gatos Urbanos revelou que, uma vez que ninguém identifica os autores da queima do gato que ocorreu nas festas de São João, o Ministério Público solicitou, em novembro, "ao Departamento de Engenharia Informática da Universidade do Porto informação sobre se é possível extrair fotogramas do vídeo com melhor qualidade de imagem com vista a identificar os indivíduos ali presentes e visíveis".

O processo foi desencadeado por várias denúncias depois da divulgação nas redes sociais do vídeo em que populares da aldeia de Mourão, no distrito de Bragança, assistem ao momento em que é ateado fogo a palha que envolve um poste com um recipiente no alto, onde se encontra um gato vivo.

Quando o poste arde, o pote projeta-se no chão e o animal cai de uma altura de três metros e corre em chamas por entre os presentes.

A GNR realizou o inquérito inicial e o Grupo Gatos Urbanos informou que este foi concluído com a identificação apenas da "dona" do gato, que já se tinha identificado à Comunicação Social.

Ressalva, no entanto que "a fase de inquérito deste processo não está fechada, sendo agora presidida pelo Ministério Publico que está a efetuar novas investigações".

Depois de os advogados terem consultado o processo, a associação informa que "a dona do gato está já constituída arguida, mas sem prejuízo de poderem vir a ser constituídos mais arguidos, uma vez que as investigações continuam".

Segundo avançou, o procurador responsável pelo processo "já ouviu o autor das filmagens, a primeira subscritora da lista da Comissão de Festas, a presidente da junta de freguesia e a vereadora da Cultura da Câmara de Vila Flor".

Além da diligência para tentar obter melhores imagens dos presentes na queima, o Ministério Público solicitou ainda, segundo a associação, "à Ordem dos Médicos Veterinários uma peritagem abstrata, fundada nas imagens fornecidas, com vista a apurar as consequências físicas e psicológicas para o gato, bem como as consequências da falta de tratamento dos ferimentos".

O Grupo Gatos Urbanos está convencido de que o animal apresentado à Comunicação Social pela mulher que se diz dona do gato - e que aparentava estar bem - não será o mesmo "usado para a barbárie em causa".

"Após ouvir os nossos advogados e após consulta dos autos, consideramos que o Ministério Público está a cumprir verdadeiramente com a sua obrigação e tudo indica que o procurador em causa está a levar este caso muito a sério e muito empenhadamente, não se tendo contentado com a parca ou quase nula informação da GNR local quanto à identificação dos diretamente envolvidos na queima do gato", refere em comunicado.

O Grupo Gatos conclui que "cumpre aguardar os resultados das diligências do Ministério Público" e apela à colaboração de quem tenha mais informações sobre este caso.

"Pretendemos que todos os diretamente envolvidos na queima do animal, sejam levados à justiça pela prática e /ou envolvimento direto neste crime e ainda que este tipo de prática seja proibida", vincou.

Lusa

  • Dona do gato torturado em Vila Flor garante que o animal saiu ileso
    2:49

    País

    A GNR já identificou algumas pessoas relacionadas com os atos que podem constituir crime no caso da tradição da "queima do gato", que decorreu na aldeia de Mourão, em Vila Flor. Mas ainda ninguém foi constituído arguido. Àquela força de segurança, chegaram várias queixas e também listas com nomes de pessoas que terão estado no recinto da festa.

  • Gato torturado em "tradição" da aldeia de Mourão, em Vila Flor
    3:10

    País

    Uma tradição na aldeia de Mourão, em Vila Flor, está a provocar uma onda de revolta. Nas imagens que circulam nas redes sociais, um gato é, aparentemente, queimado durante os festejos do São João. O povo da aldeia garante que o ritual não provoca sofrimento ao animal, mas as imagens, que podem impressionar os espectadores mais sensíveis, desmentem a população.

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • As crianças que estão a morrer à fome em África

    Mundo

    A UNICEF alertou esta terça-feira que a má nutrição aguda que afeta a Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iémen coloca este ano em "iminente" risco de morte 1,4 milhões de crianças devido à fome que existe naqueles países. São milhares de casos de um incessante desespero numa luta diária pela sobrevivência.

  • Mundo tornou-se "mais sombrio e mais instável" em 2016

    Mundo

    O mundo tornou-se em 2016 "um local mais sombrio e mais instável", devido ao agravamento de conflitos como a Síria e dos "discursos do ódio" na Europa e Estados Unidos, considerou hoje a Amnistia Internacional no seu relatório anual.

  • Semáforos no chão para os mais distraídos

    Mundo

    Na cidade holandesa de Bodegraven, está a ser testado um sistema de semáforos para quem usa o telemóvel na rua. Estes semáforos têm a forma de faixas, que são colocadas no chão, e a luz muda de cor consoante o trânsito, tal como os semáforos já existentes.

    André de Jesus

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.

  • Cães desfilam no Rio de Janeiro
    1:00

    Mundo

    O tradicional cortejo de Carnaval brasileiro só acontece daqui a uns dias, mas no Rio de Janeiro já há inúmeros desfiles pelas ruas. Na praia de Copacabana, os animais mascararam-se de humanos.