sicnot

Perfil

País

Presidente da República pede promoção da língua portuguesa na ONU

O Presidente da República enviou hoje uma mensagem ao secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, nos 70 anos da organização, sublinhando a prioridade que deverá merecer a promoção da língua portuguesa no sistema das Nações Unidas.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

"Sublinho (...) a prioridade que deverá merecer a promoção da Língua Portuguesa no Sistema das Nações Unidas. É idioma oficial ou de trabalho de várias das suas agências especializadas e a CPLP [Comunidade de Países de Língua Portuguesa] continuará a pugnar pelo seu reconhecimento como língua oficial das Nações Unidas", afirma Aníbal Cavaco Silva na mensagem divulgada no 'site' da Presidência.

No ano em que as Nações Unidas celebram o 70.º aniversário, com a assinatura da Carta de São Francisco, Portugal comemora hoje os 60 anos da sua adesão àquela organização.

Para o Presidente da República trata-se de "uma instituição ímpar do mundo contemporâneo no seu desígnio pela paz e segurança internacionais, pelo respeito pelos direitos humanos e pela promoção do desenvolvimento sustentável".

Cavaco Silva recorda que ao longo dos seus mandatos atribuiu uma "importância cimeira às Nações Unidas e à atuação do Sistema Onusino", tendo participado em várias sessões de abertura da Assembleia Geral e presidido a um debate do Conselho de Segurança.

"Tive a satisfação de apoiar e testemunhar os sucessos das eleições e do desempenho de Portugal no Conselho de Segurança e, atualmente, no Conselho de Direitos Humanos, refletindo a credibilidade internacional do meu país", acrescenta o chefe de Estado.

O Presidente da República realça ainda nesta mensagem a Ban Ki-moon "a importância do tema dos Oceanos, estratégico para Portugal", à luz da geografia e da identidade nacionais, e na perspetiva da história e do futuro do país.

Como Comandante Supremo das Forças Armadas, Cavaco Silva destaca o contributo dos militares portugueses e dos efetivos das forças de segurança que serviram e servem em operações de manutenção da paz das Nações Unidas.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.