sicnot

Perfil

País

Canceladas ligações marítimas entre as Flores e o Corvo, nos Açores

A empresa pública de transporte marítimo de passageiros e viaturas nos Açores, Atlânticoline, cancelou hoje as quatro viagens previstas entre as ilhas das Flores e Corvo devido ao mau tempo, foi hoje anunciado.

EDUARDO COSTA

Fonte da Atlânticoline disse à Lusa que estava previsto para hoje a lancha Ariel realizar duas viagens de manhã e duas à tarde entre as Flores e o Corvo (no grupo ocidental do arquipélago), mas foram todas canceladas devido a razões meteorológicas adversas.

"Lamentamos o transtorno que esta situação possa causar, mas a segurança é, e será sempre, a nossa prioridade", adiantou a mesma fonte.

Quanto à operação no grupo central (ilhas do Faial, Pico, Graciosa, Terceira e São Jorge) decorre com "total normalidade", revelou a mesma fonte.

O grupo oriental do arquipélago (ilhas de Santa Maria e de São Miguel) está hoje sob aviso amarelo para chuva e trovoada, que vigora até às 24:00 (hora de Lisboa).

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou ainda as duas ilhas deste grupo sob aviso amarelo para vento a partir das 18:00 de hoje até às 06:00 de quarta-feira.

Já o grupo central está sob aviso amarelo para chuva até às 24:00.

O aviso amarelo é o segundo menos grave de uma escala de quatro, representando situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18