sicnot

Perfil

País

Ministério da Educação discute regresso das provas de aferição com sindicatos

Com o fim dos exames de 4º ano, devem regressar as provas de aferição neste e no 2º ano de escolaridade. A ideia faz parte do programa de Governo. Amanhã, o novo Ministério da Educação de Tiago Brandão Rodrigues começa a ouvir os sindicados para, entre outros temas, discutir o regresso das provas de aferição.

A ideia é avaliar apenas o sistema educativo, se os programas curriculares estão a ser aplicados e apreendidos, sem que as notas sirvam apenas para passar ou chumbar os alunos.

Uma das primeira medidas deste Governo foi precisamente deixar cair uma das maiores bandeiras do anterior ministro da Educação Nuno Crato, as provas de avaliação do primeiro ciclo.

Logo na primeira sessão legislativa, quando foi votado o fim dos exames nacionais, António Costa fez questão de distinguir as provas de avaliação e aferição, que se destinam a melhorar o sistema e não apenas para selecionar os alunos que passam ou não de ano.

  • Resgate de mais de 300 migrantes no Mediterrâneo
    2:08
  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01