sicnot

Perfil

País

Açores com avisos laranja e amarelo devido ao vento, chuva e agitação marítima

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu hoje avisos laranja e amarelo para o arquipélago dos Açores devido à previsão de vento, chuva e agitação marítima na quinta-feira.

Lusa

Lusa

EDUARDO COSTA

O aviso laranja, para o grupo central do arquipélago (ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa, Terceira e Pico), vigora entre as 15:00 e as 24:00 de quinta-feira de Lisboa (menos uma hora nos Açores), quando são previsíveis rajadas de vento na ordem dos 120 quilómetros/hora.

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro e é considerada uma situação meteorológica de risco moderado a elevado.

Para este dia, o IPMA emitiu ainda para as cinco ilhas avisos amarelo para chuva e agitação marítima, podendo as ondas chegar aos sete metros.

As duas ilhas do grupo ocidental, Corvo e Flores, estão igualmente sob aviso laranja para vento, a partir das 03:00 e as 24:00 de quinta-feira, com rajadas que podem chegar aos 120 quilómetros/hora e agitação marítima com ondas a partir dos sete metros, aumentando para nove metros a partir do final do dia.

Estas ilhas estão também sob aviso amarelo para chuva ao longo de quinta-feira.

Nas ilhas do grupo oriental do arquipélago, São Miguel e Santa Maria, há previsão de chuva e vento à noite, tendo o IPMA emitido aviso amarelo.

Na informação disponibilizada na página do Facebook da Delegação Regional dos Açores, o IPMA refere que o agravamento do estado do tempo se deve a "uma depressão muito cavada, localizada a norte" da região.

O instituto indica que na sexta-feira está previsto "um aumento da altura das ondas e a continuação de vento muito forte", sendo esperadas ondas até 11 metros nas ilhas do Corvo e das Flores, onde o vento pode soprar até 130 quilómetros/hora.

A mesma velocidade de rajadas é esperada neste dia nas ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa, Terceira e Pico, enquanto em São Miguel é expectável rajadas até 100 quilómetros/hora.

As ilhas dos grupos oriental e central dos Açores estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, devido às condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Já na terça-feira, estes dois grupos de ilhas estiveram sob aviso amarelo devido à chuva, trovoada e vento.

Lusa

  • Santana diz que Marcelo por vezes faz de conta que é primeiro-ministro
    1:12

    País

    Santana Lopes diz que a expectativa que Passos Coelho criou sobre o mau desempenho do Governo se está a virar-se contra ele. Numa entrevista ao jornal Expresso deste sábado, o ex-primeiro-ministro e ex-presidente da Câmara Municipal de Lisboa considera contudo que Passos Coelho ainda poderá ganhar as próximas eleições. Sobre Marcelo, o atual provedor da Santa Casa da Misericórdia diz que por vezes faz de conta que é o primeiro-ministro.

  • Coala do Zoo de Duisburg viaja para Lisboa 

    País

    A SIC acompanhou, em exclusivo, a transferência de uma coala do Zoo de Duisburg, na Alemanha, para o Jardim Zoológico de Lisboa. O animal foi transportado pela TAP e batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Uma reportagem para ver mais logo no Jornal da Noite da SIC.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.