sicnot

Perfil

País

Retomadas buscas para encontrar mulher desaparecida na Serra da Estrela

As buscas para tentar encontrar uma mulher desaparecida na Serra da Estrela na segunda-feira recomeçaram às 08:00, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda.

A mesma fonte escusou-se a revelar mais pormenores sobre os meios envolvidos e a área que será percorrida, remetendo para o início das buscas mais pormenores.

O alerta relativo ao desaparecimento da mulher, na zona de Vale do Rossim, no concelho de Gouveia, distrito da Guarda, foi dado na quarta-feira pelas 13:15 pelos vigilantes do parque de campismo local.

De acordo com José António Oliveira, segundo comandante operacional do Comando Distrital de Operações e Socorro da Guarda, a mulher é de nacionalidade alemã, terá 74 anos e foi vista pela última vez na segunda-feira, cerca das 14:00.

Ao longo de toda a tarde de quarta-feira, as buscas decorreram a cerca de 1.600 metros de altitude, em zona de mato e floresta e com uma orografia bastante difícil, o que dificulta os trabalhos e impossibilita a sua continuidade durante a noite.

As equipas desmobilizaram ao final do dia, com as buscas a ser formalmente ser suspensas às 20:00, dado que não havia condições de visibilidade para se continuar no terreno.

As operações envolveram cerca de 40 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Gouveia, São Romão e Covilhã, da Brigada de Montanha da GNR e da Força Especial de Bombeiros.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.