sicnot

Perfil

País

Natal com chuva no continente, neve pode cair na Serra da Estrela

O Natal vai ser 'molhado' no continente e poderá 'vestir de branco' a Serra da Estrela, segundo as tendências do estado do tempo avançadas hoje à Lusa pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

Antonio Jose

A meteorologista do IPMA Joana Sanches disse à Lusa que a possibilidade de queda de chuva, na quarta-feira, nas regiões norte e centro, se estenderá, no dia 25, ao resto do território continental, mantendo-se, "ao que tudo indica", até 27 de dezembro.

De acordo com a fonte, "há uma probabilidade de que esta precipitação seja de neve" nas serras da Estrela e do Gerês, a partir do Dia de Natal e até, pelo menos, 27 de dezembro.

Quanto às temperaturas, "as máximas não vão ter grandes variações", oscilando, em média, entre os 15ºC e os 17ºC, no sul e no litoral norte e centro, e entre os 07ºC e os 10ºC, no interior norte e centro.

Já quanto às mínimas, vão subir, em todo o continente, quatro a cinco graus, de 23 a 25 de dezembro, descendo três a cinco graus no dia 26, nas regiões norte e centro, adiantou Joana Sanches.

No arquipélago da Madeira, onde não deverá chover, as temperaturas máximas rondarão os 19ºC, 20ºC, e as mínimas, os 15ºC a 17ºC.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.