sicnot

Perfil

País

Proteção Civil regista quedas de árvores nas ilhas das Flores e Terceira

O mau tempo que se está a fazer sentir hoje no arquipélago dos Açores provocou a queda de árvores e de postes de eletricidade, sem causar vítimas, disse fonte do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros.

Lusa

Lusa

EDUARDO COSTA

"Entre as 00:00 e as 08:30 registámos apenas a queda de dois postes de eletricidade e três árvores em Angra do Heroísmo [ilha Terceira] por causa do vento forte, mas sem obstrução de vias, nem vítimas", adiantou à agência Lusa André Avela, do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.

A mesma fonte adiantou que foi registado em Ponta Delgada das Flores, no grupo ocidental, a queda de uma árvore, que não causou vítimas.

"Devido aos avisos vermelho, laranja e amarelo emitidos para o arquipélago por causa do vento e agitação forte, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores vai continuar a acompanhar a situação", disse.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje sob aviso vermelho as ilhas do Corvo e Flores, grupo ocidental do arquipélago dos Açores, devido à agitação marítima e ao vento.

Segundo o IPMA, nestas duas ilhas as ondas podem atingir 11 metros até às 18:00 de hoje (menos uma hora nos Açores), enquanto o vento pode registar rajadas superiores a 130 quilómetros/hora entre as 03:00 e as 12:00.

O aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, é identificado pelo IPMA como uma situação meteorológica de risco extremo, devendo as pessoas acompanhar a evolução das condições e seguir as orientações da Proteção Civil.

Já no grupo oriental dos Açores, ilhas de São Miguel e Santa Maria, vigora um aviso laranja para agitação marítima entre as 12:00 e as 19:00 de hoje.

O aviso laranja para agitação marítima é antecedido de um amarelo das 06:00 às 12:00.

As ilhas do grupo central -- Graciosa, São Jorge, Faial, Pico e Terceira -- estão também sob aviso laranja para agitação marítima, que vigora até às 18:00 de hoje, e vento até às 12:00.

Segundo a meteorologista Vanda Costa, da Delegação Regional dos Açores do IPMA, explicou que está previsto "um aumento da altura das ondas e a continuação de vento muito forte", podendo as ondas atingir até 11 metros nas ilhas do Corvo e das Flores, sobretudo na costa oeste, e o vento ultrapassar 130 quilómetros/hora.

Nas ilhas do Faial, São Jorge, Graciosa, Terceira e Pico as rajadas deverão ser da ordem dos 120 quilómetros por hora, enquanto as ondas podem chegar aos nove metros.

No grupo oriental, especialmente na ilha de São Miguel, são expectáveis rajadas até 100 quilómetros/hora e ondas que podem atingir até nove metros, esclareceu a meteorologista.

As ilhas dos grupos oriental e central dos Açores estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho devido às condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC