sicnot

Perfil

País

Três investigadores portugueses com financiamento de quase 6 milhões de euros

Três investigadores portugueses receberam um total de 5,9 milhões de euros para os trabalhos que estão a desenvolver concedidos pelo Conselho Europeu de Investigação (European Research Council, ERC).

O Conselho Europeu de Investigação atribuiu a bolsa de investigação a Mónica Bettencourt Dias, Investigadora Principal do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), Helder Maiato, Investigador Principal do I3S da Universidade do Porto na área das ciências da vida, e Marina Costa Lobo, Investigadora principal do Instituto de Ciências Sociais (ICS) na área das ciências sociais.

Esta é a segunda vez que Mónica Bettencourt Dias e Hélder Maiato recebem um financiamento do ERC. Cada laboratório receberá agora cerca de 2 milhões de euros.

Contando com a primeira vez que foram premiados, em 2010, estes dois investigadores já captaram ao todo para Portugal cerca de 7 Milhões de Euros.

Já a investigadora do ICS, Marina Costa Lobo, recebe a segunda bolsa do ERC na área das ciências sociais em Portugal, no valor 1,6 milhões de euros.

São agora onze os investigadores a trabalhar em Portugal que receberam bolsas do programa ERC Consolidator, um programa de financiamento criado para "dar apoio a investigadores que estão a consolidar a sua carreira científica independente", em especial "grupos de investigação independentes com elevado nível de excelência".

Em 2015, estiveram em concurso mais de 2.050 projetos de investigação, nas várias áreas do conhecimento.

No projeto agora financiado, a equipa de Mónica Bettencourt irá recorrer a uma abordagem multidisciplinar que combina a modelação matemática com técnicas experimentais sofisticadas, que possibilitará visualizar e quantificar objetos muito pequenos dentro das células.

"Este novo financiamento dá-nos capacidade para comprar equipamento altamente sofisticado em termos tecnológicos, mas também para recrutar uma equipa excecional com a qual podemos trabalhar durante 5 anos", destaca a investigadora.

Hélder Maiato, que se tem dedicado a estudar o movimento dos cromossomas durante a divisão das células, propõe-se a partir da divisão celular e do transporte dos cromossomas para descodificar os sinais de navegação e contribuir para a compreensão desta espécie de "GPS" celular.

Com o financiamento agora atribuído, o investigador considera que "estão garantidos os recursos necessários que permitirão avançar com o trabalho sem as restrições que projetos de menor dimensão impõem".

Marina Costa Lobo pretende com este projeto estudar o impacto que o tema "Europa" tem ganho nas eleições legislativas entre 2000 e 2016 na Alemanha, Bélgica, Espanha, Grécia, Irlanda e Portugal, em particular a forma como a crescente importância da União Europeia tem influenciado a política nacional desde o início da crise da Zona Euro.

A investigadora acredita que o seu projeto "poderá contribuir para a compreensão das transformações políticas na Europa desde a crise da zona euro".

Com Lusa

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Casos de cancro nos pulmões diminuem
    3:08

    País

    O mapa do cancro em Portugal está a mudar, pela primeira vez os casos de cancro do cólon ultrapassaram os do pulmão. A proibição de fumar em locais públicos tem levado à diminuição dos casos de tumores pulmonares.

  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28