sicnot

Perfil

País

DIAP está a investigar suspeitas de corrupção na Logística do INEM

O Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa (DIAP) está a investigar suspeitas de corrupção na Logística do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), disse à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República.

(SIC/ Arquivo)

A edição de hoje do Jornal de Notícias revela que o INEM terá omitido suspeitas de corrupção, depois de denúncias feitas ao anterior presidente, Paulo Campos, e que não foram participadas ao Ministério Publico, como obriga a lei.

A denúncia, que terá sido feita em julho, visava o ex-responsável da Logística e alertava para eventual corrupção na instituição.

De acordo com a notícia do JN, o INEM manteve a informação internamente e só a 16 de setembro pediu uma auditoria externa à Logística e Sistemas de Informação para "detetar e analisar eventuais riscos de segurança da informação, de fraude e de corrupção".

Fonte da Procuradoria-Geral da República confirmou à Lusa a existência de um inquérito relacionado com a notícia do JN, adiantando que o mesmo se encontra em segredo de justiça.

De acordo com o Jornal de Notícias, o anterior presidente do INEM, Paulo Campos, declarou ter pedido uma auditoria externa, mas não explicou por que não participou o caso ao Ministério Público.

Em vez de participar as suspeitas às autoridades, depois de ter recebido a denúncia, Paulo Campos optou por desenvolver vários procedimentos, entre eles fazer reuniões "com os elementos envolvidos" para decidir o que fazer sobre os alegados factos.

Segundo o JN, o relatório da auditoria foi apresentado ao INEM a 15 de outubro, dia em que Paulo Campos foi formalmente suspenso, e enviado depois à IGAS, para que esta realize uma "sindicância" se "assim o entender", respondeu o Instituto, garantindo que agora vai "agir disciplinarmente" contra Patrício Ramalho.

Em causa está a eventual ligação de Patrício Ramalho, substituído no cargo há duas semanas, à Futurvida, uma empresa de transformação de veículos em ambulâncias fornecedora do INEM.

De acordo com a notícia, a ação será movida devido a "uma eventual prestação de serviços a outra entidade" acumulando funções sem autorização.

Lusa

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42