sicnot

Perfil

País

Portugal sob aviso amarelo devido ao nevoeiro e agitação marítima

Dezasseis distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de agitação marítima e nevoeiro, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Rui Caria/SIC

Rui Caria/SIC

De acordo com o IPMA, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro estão sob aviso amarelo entre as 12:00 de hoje e as 09:00 de quinta-feira devido à previsão de agitação marítima, prevendo-se ondas com quatro a cinco metros.

O instituto colocou também os distritos de Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Santarém e Portalegre sob aviso amarelo devido à previsão de nevoeiro persistentes entre as 01:00 e as 14:00 de hoje.

Também a costa norte da Madeira e o Porto Santo estão sob aviso amarelo entre as 18:00 de hoje e as 06:00 de quinta-feira por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas com quatro metros.

O aviso amarelo é o terceiro mais grave de uma escala de quatro e significa risco para determinadas atividades dependentes do estado do tempo.

O IPMA prevê para hoje no continente céu em geral muito nublado, sendo em especial por nuvens altas na região sul a partir do meio da manhã e períodos de chuva, em geral fraca, a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, em especial no litoral a norte do Cabo Mondego.

Está também previsto vento em geral fraco do quadrante leste, soprando moderado do quadrante sul nas terras altas das regiões norte e centro a partir da tarde, neblina ou nevoeiro matinal, que persistirá em alguns locais e pequena subida da temperatura mínima nas regiões norte e centro.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado nas vertentes sul da ilha até ao meio da tarde e vento em geral fraco do quadrante leste.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão variar entre 6 e 12 graus Celsius, no Porto entre 11 e 13, em Viana do Castelo entre 10 e 13, em Braga entre 9 e 14, em Vila Real entre 5 e 8, em Viseu entre 6 e 13, em Bragança entre 3 e 7, na Guarda entre 4 e 10, em Coimbra entre 8 e 15, em Castelo Branco entre 4 e 11, em Santarém entre 5 e 12, em Évora entre 4 e 14, em Beja entre 7 e 15, em Faro entre 10 e 18 e no Funchal entre 15 e 21.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18