sicnot

Perfil

País

Trabalhadores da CP e familiares voltam a poder andar de comboio sem pagar

Os trabalhadores da CP e os seus familiares voltam a viajar gratuitamente nos comboios da empresa a partir de 01 de janeiro, segundo deliberação do Conselho de Administração, repondo um direito suspenso há três anos.

Trata-se da segunda decisão da Concorrência, em 2015, de imposição de coima por prestação de informações falsas, inexatas ou incompletas, nos termos da Lei da Concorrência. (Arquivo)

Trata-se da segunda decisão da Concorrência, em 2015, de imposição de coima por prestação de informações falsas, inexatas ou incompletas, nos termos da Lei da Concorrência. (Arquivo)

© Paul Hanna / Reuters

A CP -- Comboios de Portugal decidiu repor o direito de os trabalhadores no ativo, cônjuges e filhos em idade escolar (até 25 anos), bem como dos trabalhadores reformados, a um regime de concessões de viagem, isto é, acesso gratuito às viagens em comboios da empresa.

Os trabalhadores das empresas do grupo -- como a CP Carga e da EMEF - também beneficiam da reversão da medida incluída no Orçamento do Estado para 2013 (OE2013), que limitava a utilização gratuita dos transportes públicos rodoviários, fluviais e ferroviários aos agentes da PSP ou da GNR - mas apenas se estiverem em patrulha - e aos trabalhadores das empresas (mas apenas nas deslocações entre casa e o emprego).

Já os cônjuges dos trabalhadores das empresas do grupo CP terão acesso ao benefício condicionado a um limiar de 4.000 quilómetros, a partir do qual viajam com um desconto de 75% até um limite máximo do valor das viagens correspondendo a três Índices de Apoio Social (IAS).

Segundo a deliberação do Conselho de Administração, liderado Manuel Queiró, "o acesso aos comboios do serviço Alfa Pendular nos dias de maior utilização (sexta-feira, domingo à tarde e segunda-feira de manhã) exige uma reserva de lugar com uma antecedência máxima de 12 horas".

Fonte oficial da CP disse à Lusa que a reposição do direito ao transporte aos ferroviários, reformados e familiares surge na "sequência de diversas conversações, nos últimos dias, com várias organizações sindicais", correspondendo "ao cumprimento das promessas que tinham sido feitas de que o direito seria reposto quando o momento social e político permitisse".

Numa nota, a Federação de Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), afeta à CGTP, considera que a deliberação da CP repõe no essencial o direito à generalidade dos beneficiários de 2012, realçando que "até melhora alguns aspetos".

"Conforme temos reivindicado e lutado, acaba com a discriminação dos trabalhadores mais novos nas empresas afiliadas", acrescenta a nota da Fectrans.

O Sindicato enviou às administrações das empresas fora do grupo CP um ofício a reclamar que sejam adotadas as medidas para que, ao abrigo desta decisão, sejam assegurados o direito ao transporte dos seus trabalhadores nos mesmos termos.

"Se nada for feito, devem ser os trabalhadores por sua iniciativa a exercerem o direito", recomenda.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59