sicnot

Perfil

País

Do Dubai para Portugal

Do Dubai para Portugal

Hoje em "Minha terra Natal" vamos conhecer Mariana de Almeida que está a trabalhar na companhia aérea Emirates, no Dubai. Tal como muitos outros jovens da sua geração, a técnica de operações aeroportuárias vem passar o Natal a casa.

  • De Londres para Portugal
    2:02

    Minha Terra Natal

    Pedro Cansado de Carvalho é o terceiro retrato da série "Minha terra Natal" sobre jovens hiperqualificados que tiveram de emigrar. Pedro tem 27 anos e trabalha no Youtube, em Londres, e também ele não prescinde de vir passar o Natal a casa.

  • De Houston para Portugal
    2:31

    Minha Terra Natal

    A SIC entrevistou vários portugueses que vivem um pouco por todo o mundo. Emigraram porque não conseguiram trabalho em Portugal, mas não prescindem de vir passar o Natal a casa. Marta Uva, analista financeira de 27 anos, foi para Houston, nos Estados Unidos da América, há dois anos. É o primeiro retrato da série "Minha terra Natal".

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.