sicnot

Perfil

País

Santa Maria de prevenção para casos como o do jovem que morreu em São José

O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, tem desde as 08:00 de hoje e até segunda-feira uma equipa de prevenção na neurocirurgia vascular para atender casos como o do jovem que morreu no São José por falta de assistência especializada.

Segundo o hospital, a medida segue a orientação do Ministério da Saúde, que, após tomar conhecimento da morte do jovem, determinou o fim dos constrangimentos no atendimento deste tipo de casos aos feriados e fins de semana.

O Hospital de Santa Maria e o Hospital de São José compõem a urgência metropolitana de Lisboa e estão encarregues de responder a casos como o do aneurisma que rompeu e que terá vitimado o jovem, por alegadamente não existir uma equipa que o operasse ao fim de semana no Hospital de São José, onde foi assistido.

Durante a época do Natal, e na passagem de ano, se for caso disso, estas situações serão tratadas no Hospital de Santa Maria, segundo disse à Lusa o administrador da instituição, Carlos Martins.

O dirigente determinou ainda que, caso não existam meios suficientes para a resposta necessária, estes sejam encaminhados para outras instituições, seja no setor público, ou privado.

Na sequência da morte de David Duarte, na madrugada de domingo, o Ministério da Saúde pediu à administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central e à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde para apurarem eventuais responsabilidades do Hospital de São José na morte de o doente.

A Procuradoria-Geral da República já abriu inquérito à morte de David Duarte para averiguar eventuais ilícitos criminais e responsabilidade do Estado, administradores e médicos.

A equipa de prontidão no Santa Maria -- que funcionará até às 08:00 de segunda-feira - é composta por seis pessoas: um neurocirurgião com capacidade para aneurisma roto, um anestesista com prática nesta intervenção cirúrgica, três enfermeiros e um assistente operacional.

Lusa

  • Centro Hospitalar abre inquérito para apurar se houve mais mortes por falta de assistência
    1:50

    País

    O Centro Hospitalar de Lisboa Central revelou hoje à tarde que foi aberto um processo de inquérito interno no Hospital de São José para apurar se existiram ou não mais quatro mortes por falta de assistência médica no hospital. Isto, no dia em que o secretário de Estado da Saúde garantiu que os cortes no Sistema Nacional de Saúde não provocaram uma "devastação" na qualidade de vida dos portugueses, respondendo assim ao bastonário da Ordem dos Médicos que responsabiliza a tutela. Entretanto, foi aberto um inquérito para apurar responsabilidades no caso do jovem de 29 anos que morreu enquanto aguardava tratamento depois da rutura de um aneurisma cerebral.

  • Secretário de Estado diz que Ministério está a averiguar se houve mais mortes no S. José
    0:51

    País

    O secretário de estado da Saúde, Manuel Delgado, vem reforçar que o Ministério não tinha conhecimento do que se passava e que tudo será feito para corrigir a situação. David Duarte, 29 anos, foi internado no Hospital de S. José no dia 11 de dezembro, tendo-lhe sido diagnosticado uma hemorragia cerebral provocada por um aneurisma e a precisar de uma intervenção cirúrgica rápida. David Duarte acabaria por morrer sem a ter sido submetido à cirurgia por falta de neurocirurgião.

  • Falta de especialistas levou à morte de 5 pessoas no S. José desde 2014
    2:48

    País

    Cinco pessoas morreram por falta de equipas médicas no Hospital S. José durante os fins de semana. Segundo o jornal Expresso, e desde 2014, a falta de acordo com o Ministério da Saúde no pagamento das horas extraordinárias tornou fatal a espera para doentes que tinham grande probabilidade de sobreviver com a cirurgia. O Ministério Público abriu já um inquérito para apurar as circunstâncias da morte do jovem de 29 anos e que levaram a demissões em bloco.

  • Caso de David não é único no SNS

    País

    Vários médicos e enfermeiros garantem que o caso de David Duarte, que morreu à espera de ser operado, não é caso único. Fonte do Hospital de São Josédisse ao jornal Expresso que houve mais quatro doentes com rotura de aneurisma que também não sobreviveram ao sábado e ao domingo de espera, desde abril de 2014.

  • Ministro assegura que haverá neurocirurgiões ao fim de semana nos hospitais de Lisboa
    2:12

    País

    O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, diz que os cortes no setor foram longe demais, mas garante que situação que levou à morte de um jovem de 29 anos no Hospital S. José não volta a repetir-se. O caso levou à demissão do presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo e dos presidentes dos conselhos de administração dos centros hospitalares Lisboa Central e Norte.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".