sicnot

Perfil

País

Greve nos STCP com adesão de cerca de 20%, diz sindicato

Greve nos STCP com adesão de cerca de 20%, diz sindicato

Os trabalhadores dos Transportes Coletivos do Porto também estão em greve, a última deste ano. Contestam a redução em 50% da remuneração das horas em dias feriados.

A greve dos trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) registou no período da manhã de hoje uma adesão de cerca de 20 por cento, disse à Lusa um dirigente do Sindicato Nacional dos Motoristas.

Segundo Jorge Costa, a greve, de 24 horas, visa protestar contra a redução em 50% das horas trabalhadas em dia feriado.

Esta é a última paralisação do ano em dia feriado, depois de já em 2013 e 2014 os trabalhadores da rodoviária terem entregado um pré-aviso de greve para todos os feriados do ano.

O dirigente sindical disse à Lusa que foi já entregue um novo pré-aviso de greve para o feriado de 01 de janeiro de 2016, estando ainda a ser decidido o prolongamento do protesto a todos os feriados do próximo ano.

Segundo Jorge Costa, na STCP não foi reposto o pagamento a 100% pelo trabalho prestado em dias de feriado.

A remuneração relativa às horas extraordinárias sofreu alterações nos últimos anos, devido a medidas implementadas pelo Governo liderado pelo social-democrata Pedro Passos Coelho.

Em 2012, através de uma alteração ao Código do Trabalho, o valor pago pelo trabalho suplementar foi reduzido para metade, contudo, desde 01 de janeiro deste ano, cumprindo a decisão do Tribunal Constitucional, o anterior governo deixou cair essa medida, sendo que os trabalhadores abrangidos por contratos coletivos de trabalho devem receber o pagamento a 100%.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da STCP garantiu que a empresa "cumpre escrupulosamente a lei".

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC