sicnot

Perfil

País

Trabalhadores da STCP cumprem hoje última greve em dia feriado de 2015

Os trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) estão hoje a cumprir mais uma greve em protesto contra a redução em 50% das horas trabalhadas em dia feriado.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

Lusa

Esta é a última paralisação do ano em dia feriado, depois de já em 2013 e 2014 os trabalhadores da rodoviária terem entregado um pré-aviso de greve para todos os feriados do ano.

A greve teve início às 00:00 e decorre até às 24:00.

Segundo Jorge Costa, do Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM), na STCP não foi reposto o pagamento a 100% pelo trabalho prestado em dias de feriado.

A remuneração relativa às horas extraordinárias sofreu alterações nos últimos anos, devido a medidas implementadas pelo Governo liderado pelo social-democrata Pedro Passos Coelho.

Em 2012, através de uma alteração ao Código do Trabalho, o valor pago pelo trabalho suplementar foi reduzido para metade, contudo, desde 01 de janeiro deste ano, cumprindo a decisão do Tribunal Constitucional, o anterior governo deixou cair essa medida, sendo que os trabalhadores abrangidos por contratos coletivos de trabalho devem receber o pagamento a 100%.

Os trabalhadores da STCP decidiram no dia 07 de dezembro que serão apresentados novos pré-avisos de greve para o trabalho em dias de feriado em 2016.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da STCP garantiu que a empresa "cumpre escrupulosamente a lei".

  • Obama acredita que Guterres será um bom líder da ONU
    0:53

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar de perto com os Estados Unidos na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido esta sexta-feira por Barack Obama, na Casa Branca, onde foi elogiado pelo ainda Presidente.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.