sicnot

Perfil

País

Doze distritos sob aviso de vento forte e agitação marítima até amanhã

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou 12 distritos sob aviso amarelo, devido à previsão de vento forte entre hoje e segunda-feira, com rajadas de 70 a 100 quilómetros por hora.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

ESTELA SILVA

O aviso amarelo, o terceiro mais grave numa escala de quatro níveis, alerta para situações de risco para determinadas atividades dependentes das condições meteorológicas.

Os distritos assinalados pelo IPMA são Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Faro, Vila Real, Viana do Castelo, Leiria, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Braga.

Para o distrito de Faro, o aviso deve-se à agitação marítima esperada, com ondas de dois e três metros de altura. Neste caso, o instituto colocou o aviso amarelo em vigor até às 03:00 de segunda-feira.

No resto do país, estão previstos ventos fortes de sul, com rajadas que poderão atingir os 100 quilómetros por hora nas terras altas e 70 a 80 quilómetros a altitudes inferiores.

Nos 11 distritos em aviso amarelo devido ao vento, o alerta dura até às 15:00 de segunda-feira.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.