sicnot

Perfil

País

Onze barras do continente condicionadas devido à agitação marítima

Onze barras de Portugal continental estão hoje fechadas a toda a navegação e outras quatro condicionadas devido à agitação marítima forte, prevendo-se ondas com 4 a 5 metros, informou a Marinha portuguesa.

ANTÓNIO ARAÚJO

De acordo com informação disponível na página da Marinha na Internet, estão fechadas a toda a navegação as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, São Martinho do Porto, Lagos, Alvor, Albufeira, Tavira e Vila Real de Santo António.

A Marinha indica também que as barras de Aveiro e da Figueira da Foz estão fechadas a embarcações com comprimento inferior a 15 e 11 metros, respetivamente.

As barras de Portimão e Faro estão fechadas a embarcações com comprimento inferior a 10 metros.

Por causa da agitação marítima forte, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Leiria, Coimbra, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro entre as 03:00 e as 18:00 de hoje, prevendo-se ondas com 4 a 5 metros.

O instituto prevê para hoje na costa ocidental ondas de sudoeste com 4 a 5 metros, passando gradualmente a ondas de oeste com 2,5 a 3,5 metros.

Na costa sul prevê-se ondas de sueste com 2 a 3 metros, passando gradualmente a ondas de sudoeste com 1,5 a 2,5 metros.

O aviso amarelo, o terceiro mais grave numa escala de quatro níveis, alerta para situações de risco para determinadas atividades dependentes das condições meteorológicas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu muito nublado, com abertas a partir da tarde nas regiões norte e centro, períodos de chuva, por vezes forte, passando gradualmente a regime de aguaceiros fracos e pouco frequentes durante a tarde e que poderão ser na forma de neve acima de 1400 metros de altitude e condições favoráveis à ocorrência de trovoada.

Está também previsto vento moderado do quadrante sul, soprando moderado a forte no litoral, com rajadas até 80/100 quilómetros por hora, em especial a norte do Cabo Mondego, tornando-se fraco a moderado do quadrante oeste durante a tarde.

Nas terras altas, o vento soprará forte a muito forte do quadrante sul com rajadas até 120 quilómetros por hora, tornando-se moderado a forte do quadrante oeste a partir do meio da tarde.

O IPMA prevê ainda subida da temperatura mínima e descida da temperatura máxima nas regiões norte e centro.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 15 e 18 graus Celsius, no Porto entre 13 e 16, em Vila Real entre 8 e 12, em Viseu entre 9 e 12, em Bragança entre 3 e 10, na Guarda entre 5 e 9, em Coimbra entre 12 e 16, em Castelo Branco entre 8 e 13, em Santarém entre 14 e 18, em Évora entre 11 e 16, em Beja entre 13 e 17 e em Faro entre 16 e 19.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.