sicnot

Perfil

País

PS diz que portugueses rejeitaram nas urnas o caminho da incerteza

O PS defendeu hoje que os portugueses rejeitaram nas urnas "os caminhos que agravaram profundamente as incertezas e os problemas sociais", numa reação à afirmação do Presidente da República de que se vive "um tempo de incerteza".

MIGUEL A. LOPES

"A maioria dos portugueses expressou-se nas últimas eleições legislativas por uma mudança de políticas, rejeitando os caminhos que agravaram profundamente as incertezas e os problemas sociais", disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do Partido Socialista (PS), Ana Catarina Mendes, em reação ao discurso de Ano Novo do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, o último do seu mandato.

Cavaco Silva afirmou hoje que se vive um tempo de incerteza e que há um modelo político, económico e social a defender, que é aquele que vigorou nas últimas décadas.

Na reação, Ana Catarina Mendes saudou a confiança manifestada por Cavaco Silva na "capacidade dos portugueses, dos mais diversos setores da nossa sociedade, para superar os desafios do presente e do futuro", e contrariou a ideia da incerteza defendendo que os portugueses têm confiança na atuação do atual executivo.

"Os portugueses que fazem Portugal todos os dias têm hoje confiança num Estado que cumpre a Constituição, repondo salários e pensões devidas. Têm confiança num Governo que cumpre o que prometeu, eliminando a sobretaxa que asfixia a classe média. Têm confiança em que as dificuldades do sistema financeiro não se disfarçam, mas enfrentam-se e resolvem-se com coragem. Os portugueses vivem um tempo novo, de confiança, em que a democracia garante sempre alternativas e não está condenada ao pensamento único", disse.

A dirigente socialista disse também que temas apontados por Cavaco Silva no discurso como preocupações do seu mandato -- enumerando, por exemplo, o combate à exclusão social e à violência doméstica, ao desemprego e à pobreza -- são agora "uma parte importante da agenda assumida com clareza e determinação pelo Governo do PS, depois de uma governação da direita que deixou um impressionante e nunca antes visto lastro de rutura social no nosso país".

"Os portugueses apostam em Portugal e o PS acredita nos portugueses. Agir para que os portugueses se possam realizar pessoal e profissionalmente no país que é o de todos nós, é a razão fundamental da ação do governo do PS", declarou Ana Catarina Mendes.

O PS saudou também o apelo do Presidente da República para um acolhimento aos refugiados que chegam ao país que afirme a "identidade universalista" dos portugueses e que se distancie das "pulsões extremistas e xenófobas" que emergem em "várias paragens" na Europa.

Lusa

  • "Vivemos um tempo de incerteza"
    2:25

    País

    Cavaco Silva diz que o país vive "um tempo de incerteza" e que há um país real que muitos agentes políticos desconhecem. Na última mensagem de Ano Novo que dirige ao país enquanto Presidente da República, faz um balanço de dez anos de mandato diz que é fundamental combater as desigualdades e sublinha que há um modelo político, económico e social a defender.

  • Direita elogia mensagem e mandatos de Cavaco
    1:28

    País

    O PCP comentou a mensagem de Ano Novo do Chefe de Estado dizendo que Portugal não precisa de mais presidentes como Cavaco Silva. Já o Bloco de Esquerda considera que o discurso marca o fim "de 20 anos de cavaquismo". O PSD e o CDS elogiaram os mandatos de Cavaco e deixaram críticas ao PS.

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC