sicnot

Perfil

País

Passageiros saíram do catamarã no cais do Montijo após reboque da embarcação

Os passageiros do catamarã da Transtejo, que encalhou esta terça-feira no rio Tejo, saíram já da embarcação no cais do Montijo, disse à Lusa a porta-voz dos Transportes de Lisboa.

"Às 21:10, o catamarã foi rebocado por outro navio até ao cais e as pessoas começaram a desembarcar. Os passageiros estão calmos e correu tudo bem", afirmou Isa Lopes.

O comandante da Capitania do Porto de Lisboa, Malaquias Domingues, declarou à Lusa que a situação "está resolvida".

"As pessoas, que aguardaram pacientemente a conclusão da operação, seguiram as suas vidas", acrescentou o responsável.

O catamarã, que fazia a ligação entre Lisboa e Montijo, encalhou cerca das 17:25, junto ao cais de acostagem do Montijo, com 91 passageiros a bordo, devido à maré baixa, disse Malaquias Domingues.

As autoridades foram alertadas para o acidente cerca das 17:45 e para o local foram mobilizadas duas embarcações da Polícia Marítima, de acordo com Malaquias Domingues.

A Transportes de Lisboa é a 'holding' que agrega a Transtejo.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.